Eleonora Menicucci: “Vamos às ruas para defender Lula”

Ex-ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres no governo da presidente eleita Dilma Rousseff afirma que elites brasileiras não aceitaram ser governadas por Lula e Dilma; "As elites dominantes, classistas, patriarcais, sexistas, escravocratas, homolesbo e transfóbicas que deram o golpe com o aglomerado poderoso das cinco famílias que controlam a mídia, o capital financeiro rentista, judiciário não suportam serem governados por um partido de esquerda e muito menos por um operário e uma mulher ex-presa política"

eleonora menicucci
eleonora menicucci (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

É noite do dia 9/9.

Em casa, com os pensamentos em revoadas não consigo me desfocar da crueldade que as elites brasileiras estão cometendo contra o maior líder contemporâneo brasileiro: o presidente Lula.

Lula fez muito pelo Brasil, poderia elencar milhares de políticas públicas, mas muito já se falou

Quero destacar duas: incluir os pobres pela primeira vez no Orçamento da União, tornando-os sujeitos de direitos. Não é pouco, é muito por ser cidadania comprometida com igualdade social.

A segunda foi ter a sensibilidade que chamo de gênero quando bancou o nome da primeira mulher a presidência do Brasil

E que mulher? Dilma Rousseff, ex-militante contra a ditadura civil militar de 64, ex-presa política e torturada (como eu), ética, digna, decente e profundamente comprometida coma liberdade e justiça social.
Isto são escolhas de grande estadista.

Hoje as elites dominantes, mídias, capital financeiro, judiciário e etc não perdoam.

Isto "justifica a caçada". Nós brasileiros não nos calaremos.

Vamos às ruas de nosso país para defendê-lo, presidente Lula. Como os nordestinos fizeram durante a maravilhosa caravana, que eu tive oportunidade de acompanhar e me emocionar no percurso do Rio Grande do Norte.

Sairemos mais fortes e unidos.

O PT vive.

O Lula vive e com força.

As elites dominantes, classistas, patriarcais, sexistas, escravocratas, homolesbo e transfóbicas que deram o golpe com o aglomerado poderoso das cinco famílias que controlam a mídia, o capital financeiro rentista, judiciário não suportam serem governados por um partido de esquerda e muito menos por um operário e uma mulher ex-presa política.

Ambos contribuíram para a conquista de direitos dos novos sujeitos políticos, até então inviaibilizados.

À luta contra o desmonte do Estado de direito e em defesa do Lula.

- Ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres no governo da presidente eleita Dilma Rousseff

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247