Em busca do golpe, Aloysio também briga com países vizinhos

Após criticar a OEA por ter denunciado o golpe no Brasil, o senador Aloysio Nunes agora repudia as declarações dos presidentes da Bolívia, Equador e Venezuela; segundo o tucano, esses países "incorrem em grave ingerência em assuntos internos do Brasil ao difamar como “tentativa de golpe” e "um novo plano Condor" o processo de impeachment, em curso ao amparo da Constituição Federal de 1988 no Congresso Nacional, e a operação Lava Jato, realizada ao amparo das leis do País pelo Ministério Público, a Polícia Federal e o Poder Judiciário da União"

Após criticar a OEA por ter denunciado o golpe no Brasil, o senador Aloysio Nunes agora repudia as declarações dos presidentes da Bolívia, Equador e Venezuela; segundo o tucano, esses países "incorrem em grave ingerência em assuntos internos do Brasil ao difamar como “tentativa de golpe” e "um novo plano Condor" o processo de impeachment, em curso ao amparo da Constituição Federal de 1988 no Congresso Nacional, e a operação Lava Jato, realizada ao amparo das leis do País pelo Ministério Público, a Polícia Federal e o Poder Judiciário da União"
Após criticar a OEA por ter denunciado o golpe no Brasil, o senador Aloysio Nunes agora repudia as declarações dos presidentes da Bolívia, Equador e Venezuela; segundo o tucano, esses países "incorrem em grave ingerência em assuntos internos do Brasil ao difamar como “tentativa de golpe” e "um novo plano Condor" o processo de impeachment, em curso ao amparo da Constituição Federal de 1988 no Congresso Nacional, e a operação Lava Jato, realizada ao amparo das leis do País pelo Ministério Público, a Polícia Federal e o Poder Judiciário da União" (Foto: Valter Lima)

247 - Após criticar a OEA por ter denunciado o golpe no Brasil, o senador Aloysio Nunes agora repudia as declarações dos presidentes da Bolívia, Equador e Venezuela. Segundo o tucano, esses países "incorrem em grave ingerência em assuntos internos do Brasil ao difamar como “tentativa de golpe” e "um novo plano Condor" o processo de impeachment, em curso ao amparo da Constituição Federal de 1988 no Congresso Nacional, e a operação Lava Jato, realizada ao amparo das leis do País pelo Ministério Público, a Polícia Federal e o Poder Judiciário da União".

"A mobilização popular e pacífica em defesa da democracia que tomou conta das ruas no Brasil aterroriza tiranetes bolivarianos que há muito demoliram as instituições democráticas de seus países, humilhando e subordinando como meros acessórios o que alguma vez foram os poderes judiciário e legislativo. Aferram-se ao poder, restringindo a liberdade de imprensa e ignorando a crescente insatisfação popular com suas manobras de eternização de projetos autoritários", diz.

Abaixo a nota:

Repudio as declarações dos Presidentes da Bolívia, Equador e Venezuela, que incorrem em grave ingerência em assuntos internos do Brasil ao difamar como “tentativa de golpe” e "um novo plano Condor" o processo de impeachment, em curso ao amparo da Constituição Federal de 1988 no Congresso Nacional, e a operação Lava Jato, realizada ao amparo das leis do País pelo Ministério Público, a Polícia Federal e o Poder Judiciário da União.

A mobilização popular e pacífica em defesa da democracia que tomou conta das ruas no Brasil aterroriza tiranetes bolivarianos que há muito demoliram as instituições democráticas de seus países, humilhando e subordinando como meros acessórios o que alguma vez foram os poderes judiciário e legislativo. Aferram-se ao poder, restringindo a liberdade de imprensa e ignorando a crescente insatisfação popular com suas manobras de eternização de projetos autoritários.

Saibam esses fac-símiles dos "líderes supremos" que tantas vezes infelicitaram estas terras que, no Brasil, as instituições democráticas estão plenamente vigentes, a imprensa é livre e existem garantias plenas à atuação independente e apartidária do Poder Judiciário, do Ministério Público e da Polícia Federal.

O povo brasileiro se insurge contra o mar de lama em que chafurdam os atuais inquilinos do Planalto.

Tenho a certeza de que o impeachment, recurso constitucional de última instância que resgata a soberania do povo brasileiro das garras de quem exerce o poder executivo para fins espúrios, tirará o Brasil do desgoverno moral, político e econômico que o assombra.

Aloysio Nunes Ferreira
Senador (PSDB-SP) e Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado
Brasília, 22 de março de 2016.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247