Em meio à polêmica, juiz marca audiência de novo processo contra Lula

Em meio à polêmica sobre a transferência de Lula, mantido como preso político em Curitiba, para São Paulo, o juiz da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, Vallisney de Oliveira, marcou para o dia 27 deste mês a primeira audiência de uma nova ação penal onde o ex-presidente é acusado de atuar para facilitar o aumento de crédito do BNDES à empreiteira Odebrecht

13/07/2017- São Paulo- SP, Brasil- Ex-presidente Lula dá entrevista coletiva na sede do PT Nacional, em São Paulo.
Foto: Ricardo Stuckert
13/07/2017- São Paulo- SP, Brasil- Ex-presidente Lula dá entrevista coletiva na sede do PT Nacional, em São Paulo. Foto: Ricardo Stuckert
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em meio à polêmica sobre a transferência de Luiz Inácio Lula da Silva, mantido como preso político em Curitiba, para São Paulo, o juiz da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, Vallisney de Oliveira, marcou para o dia 27 deste mês a primeira audiência de uma nova ação penal onde o ex-presidente é acusado de atuar para facilitar o aumento de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) à empreiteira Odebrecht. Segundo a promotoria, em contrapartida o PT teria recebido R$ 64 milhões para utilização em campanha eleitorais. 

De acordo com o despacho do magistrado, expedido a última sexta-feira, Lula não está obrigado a comparecer à audiência, ao contrário de seus advogados. De acordo com aProcuradoria-Geral da República (PGR), "a Construtora Odebrecht prometeu ao então presidente Lula a doação de US$ 40 milhões em troca de decisões políticas que beneficiassem o grupo econômico". 

Em resposta, a defesa de Lula pediu a rejeição da denúncia, sob o argumento de que não ficou comprovado ato de ofício por parte do ex-presidente em favor da Odebrecht que não há provas de seu envolvimento no caso. Além de Lula, também são acusados o ex-ministro petista Paulo Bernardo, o ex-ministro Antonio Palocci, Marcelo Odebrecht e outros ex-executivos da construtora.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247