Em nova perícia ao STF, defesa de Lula diz que Moro orientava o MPF e cobrava até o andamento de recursos

Advogados do ex-presidente protocolaram nova perícia nas mensagens da operação Spoofing e atestam que o ex-juiz Sérgio Moro coordenava os trabalhos dos procuradores. "Russo [Moro] quer uma previsão das nossas razões de apelação do caso triplex", disse Deltan em um dos diálogos

Deltan Dallagnol, Sérgio Moro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Deltan Dallagnol, Sérgio Moro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolou, nesta quinta-feira (3), no Supremo Tribunal Federal (STF) uma nova perícia sobre as mensagens de procuradores da Lava Jato e do ex-juiz Sérgio Moro, apreendidas na Operação Spoofing. 

Os advogados de Lula na petição novos diálogos para reforçar ação coordenada entre o ex-juiz Sergio Moro e procuradores da Lava Jato para incriminar o ex-presidente.

Segundo a defesa de Lula, liderada por Cristiano Zanin Martins, os diálogos comprovam que Moro "orientava e era consultado rotineiramente para a prática dos atos de persecução" em relação a Lula. "No que se refere ao famigerado tríplex do Guarujá, por exemplo, o então juiz Sergio Moro, além de ter atuado durante a própria elaboração da denúncia, como já demonstrado nestes autos, exigia satisfação até sobre o andamento do recurso de apelação do MPF", afirma.

Para justificar as afirmações, a defesa de Lula listou mensagens do procurador Deltan Dallagnol, de 21 de julho de 2017 para seus colegas da força-tarefa da Lava Jato:

20:23:57 - Deltan: É uma base imensa, com informações de terceiros não relacionados ao réu e há diligências sob sigilo ainda; então é possível fazer pesquisas com base em argumentos (termos) apontados por Lula e que tenham pertinência com os fatos do processo.

20:25:46 - Deltan: Russo [Moro] quer uma previsão das nossas razões de apelação do caso triplex.

A defesa de Lula também que, além de "Russo", Sérgio Moro também era chamado de "Putin" e aponta certas "inovações do então juiz Sergio Moro para conceder benefícios a delatores que pudessem criar elementos para atingir os alvos pré-definidos levou [sic] os próprios membros da 'Força-Tarefa da Lava Jato' a reconhecer que estavam diante de 'Inovação do CPP da Rússia'".

Veja a petição da defesa de Lula e os trechos das mensagens e um relatório preliminar encaminhado pelos peritos ao escritório de advogados de Lula:

Inscreva-se na TV 247, seja membro, e compartilhe:


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email