Em vídeo, médico denuncia a “ditadura do Judiciário”

Alexandre Mota, de Natal (RN), acusa a Lava Jato de ser seletiva contra o ex-presidente Lula; "O ordenamento jurídico brasileiro estabelece que as pessoas são inocentes até que se prove o contrário. Isso não vale para petistas. E os procuradores da Lava Jato mostraram que vale muito menos para Lula", diz

Alexandre Mota, de Natal (RN), acusa a Lava Jato de ser seletiva contra o ex-presidente Lula; "O ordenamento jurídico brasileiro estabelece que as pessoas são inocentes até que se prove o contrário. Isso não vale para petistas. E os procuradores da Lava Jato mostraram que vale muito menos para Lula", diz
Alexandre Mota, de Natal (RN), acusa a Lava Jato de ser seletiva contra o ex-presidente Lula; "O ordenamento jurídico brasileiro estabelece que as pessoas são inocentes até que se prove o contrário. Isso não vale para petistas. E os procuradores da Lava Jato mostraram que vale muito menos para Lula", diz (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O médico Alexandre Mota, de Natal (RN), gravou um novo vídeo para comentar o político brasileiro e desta vez denuncia o que chama de "ditadura do Judiciário", logo após a força-tarefa da Lava Jato ter oferecido denúncia contra o ex-presidente Lula por corrupção e lavagem de dinheiro.

"O ordenamento jurídico brasileiro estabelece que as pessoas são inocentes até que se prove o contrário. Isso não vale para petistas. E os procuradores da Lava Jato mostraram que vale muito menos para Lula. Lula é, a priori, culpado para eles", critica Mota. Ele lembra das citações ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) e do helicóptero de cocaína ligado ao senador Zezé Perrela, e lembra que não foram pedidas prisões contra eles.

O médico por fim cita que há uma frase atribuída a Rui Barbosa, que diz que "a pior ditadura é a do Judiciário". "Eu não tenho como provar que a frase é dele, mas tenho a convicção de que a frase é correta", ironiza. Assista:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email