Empresário acusado de divulgar fake news confessa ter financiado protestos de rua pró Bolsonaro

Intimado a depor no inquérito das fake news conduzido pelo STF (Supremo Tribunal Federal), o empresário Otávio Fakhoury admitiu que financiava protestos de rua a favor do governo de Jair Bolsonaro

Otavio Fakhoury e Jair Bolsonaro
Otavio Fakhoury e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Otávio Fakhoury, empresário acusado de propagar fake news, confessou ter financiado protestos de rua em favor de Bolsonaro. Ele também contou que já tinha feito o mesmo em 2016, durante os protestos pelo impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT).

O empresário afirmou: “as minhas doações de campanha são todas oficiais, com declaração ao TSE (...) Agora, no começo do ano eu colaborei com um caminhão, que na verdade a manifestação acabou minguando, tinha o covid, já tinha começado.”

A reportagem do portal Uol destaca que “no inquérito das fake news, que apura principalmente ataques ao STF e às instituições, Fakhoury aparece como sendo integrante de grupos de empresários no Whatsapp que se organizavam para ações com cunho político. Ele admitiu sua presença em um grupo com Luciano Hang, dono da Havan, e Edgard Corona, dona da rede de academias Smart Fit. No entanto, disse que não interagia com ambos.”

Ele ainda disse, em entrevista à CNN: “esses grupos foram formados para isso, para a gente se ajudar, juntar pessoas com os mesmos ideais, mesmas visões políticas, para se ajudar e promover ações como essas de manifestações de rua, por exemplo.”

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email