Empresário de Roraima impõe condições de trabalho análogas à de escravo a venezuelanos

A Polícia Federal prendeu, em Roraima, um empresário acusado de submeter imigrantes venezuelanos a trabalhos análogos à escravidão. Ele também é suspeito de aliciar mulheres vindas do país vizinho para serem exploradas sexualmente em outros estados brasileiros

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal prendeu em Boa Vista, em Roraima, um empresário acusado de submeter imigrantes venezuelanos a trabalhos análogos à escravidão, sem dias de folga, com jornadas de 12 horas e pagamentos entre R$ 5 e R$ 10 por dia, ou até nada.

O empresário, cuja identidade não foi divulgada, também é suspeito de aliciar mulheres vindas do país vizinho para serem exploradas sexualmente em outros estados brasileiros. 

Em Pacaraima, oito trabalhadores foram resgatados, mas as suspeitas é de que pelo menos 40 imigrantes.

A denúncia chegou a polícia porque trabalhadores conseguiram fugir dos cateiros de obras onde eram mantidos e relatar o esquema. Segundo os depoimentos, os salários – quando pagos – variavam entre R$ 10 para adultos e R$ 5 para adolescentes por dia de trabalho. Em muitos casos, mulheres trabalhavam sem ser pagas.

Com informação do site Metrópoles.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email