Enquanto o Vox Populi dá Lula, o vox money sonha com Doria, Alckmin e Huck

Pesquisa feita pela XP Investimentos, ligada ao Banco Itaú, entre operadores do mercado financeiro, dá resultado oposto ao dos demais levantamentos em que foi ouvida a população como um todo. Entre estes está o Vox Populi, que nesta sexta-feira divulgou pesquisa em que dá Lula como franco favorito para as eleições presidenciais de 2018; leia reportagem do Nocaute

lula
lula (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Do Nocaute

Nesta sexta-feira o Instituto Vox Populi divulgou uma consulta popular mostrando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seria eleito presidente do Brasil se a votação acontecesse hoje, em todos os cenários possíveis.

No mesmo dia, Nocauteteve acesso a uma pesquisa revelando que donos e operadores do capital financeiro desejam o contrário.

A sondagem foi feita pela XP Investimentos, uma das maiores corretoras de investimentos do Brasil, que ostenta uma clientela de 450 mil pessoas, ouvindo a opinião de 168 investidores institucionais e de 400 assessores de investimentos. Parceira de gigantes como JP Morgan, Lehman Brothers e Gávea Investimentos (leia-se Armínio Fraga), a XP Investimentos teve 49% de seu controle adquirido pelo Banco Itaú no primeiro semestre deste ano.

O objetivo da pesquisa, segundo a XP, é “fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento”. Mas alerta que não se responsabiliza “por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório”.

A pesquisa da XP foi realizada no universo das principais instituições do mercado financeiro brasileiro, “com uma representação equivalente a mais de 50% dos recursos sob gestão dentro do setor.”

A primeira pergunta foi: Quem será o vencedor da eleição presidencial de 2018?.

O prefeito de São Paulo, João Doria Jr (PSDB), é o vencedor, com 42%, e no segundo lugar está o governador Geraldo Alckmin (PSDB), com 38%. Lula será eleito apenas na opinião de 6% dos consultados. Os outros opinam que a senadora Marina Silva (Rede) (3%), deputado federal Jair Bolsonaro (PEN) (3%) e senador Álvaro Dias (Podemos) (2%) vão ganhar.

Como os investidores responderam sobre o próximo presidente do Brasil.

Como alternativa a esses nomes, os entrevistados sugerem como presidente do Brasil as seguintes personalidades, em ordem de preferência: Luciano Huck (13%), Henrique Meirelles (13%), Joaquim Barbosa (13%), Bernardinho (11%), Fernando Haddad (9%), Ciro Gomes (7%), Rodrigo Maia (7%), Eduardo Paes (5%), Sérgio Moro (5%), Aécio Neves (5%), Carmen Lúcia (5%) e Roberto Setúbal (5%). No final da lista, com modestos 2%, aparece Michel Temer.

Quem seriam as alternativas, na opinião dos investidores.

A XP fez também uma sondagem em seus escritórios afiliados. Uma das diferença, se comparados os resultados, é em relação aos tucanos. Os investidores se dividem entre Doria e Alckmin de maneira quase equilibrada (42% e 38%). Mas o resultado nas afiliadas revela que 61% acham que Doria será o vencedor em 2018. Alckmin será o próximo presidente somente para 12% dos entrevistados.

A outra diferença é sobre Bolsonaro. Nesta outra pesquisa, ele está em terceiro lugar, com 15%, e o ex-presidente Lula é o quarto, com 5%. Em seguida, Álvaro Dias, 3%, Marina Silva, 1%, Ciro Gomes, 1%.

Na outra sondagem, Doria tem vantagem maior em relação a Alckmin.

 

Se Alckmin fosse eleito, 88% acreditam que o Ibovespa subiria do patamar atual. Atualmente, o Ibovespa – considerado o mais importante indicador do desempenho médio das cotações das ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo – fecha o dia em torno de 65 mil pontos.

Como o mercado financeiro reagiria a Alckmin presidente.

A maioria deles também opina que, com o atual governador paulista na Presidência, o real se valorizaria em relação ao dólar, abaixo de três reais para um, cenário que favorece importadores, sobretudo, e prejudica a exportação brasileira e desestimula a produção nacional.

A reação do câmbio com Alckmin na Presidência.

Com Doria, a previsão é ainda mais otimista: 94% sonham com o Ibovespa do atual, e 75% acreditam na valorização do câmbio brasileiro.

Percepção dos investidores sobre a bolsa em um eventual governo Doria.

 

Percepção dos investidores sobre o câmbio, se Doria fosse presidente.

Com Lula presidente, somente 3% acreditam que o Ibovespa poderia passar dos 70 mil pontos. A maioria estima o índice entre 55 mil e 40 mil pontos. Segundo a pesquisa, 8% acham que o Ibovespa poderia ficar entre 55 e 60 mil pontos, número ainda abaixo do atual.

Opinião dos investidores sobre a bolsa de valores no governo Lula.

Para metade dos investidores (50%), se Lula fosse eleito em 2018, o real estaria cotado entre 3,90 e 4,10 diante do dólar.

Como estaria o câmbio, se Lula fosse eleito em 2018, na avaliação dos investidores.

Percepção dos investidores sobre o mercado financeiro no governo de Marina

Quanto ao Ibovespa, a perspectiva é negativa também num eventual governo de Marina Silva – 76% acham que o índice recuaria do patamar atual. Quanto ao dólar, 75% indicaram que o câmbio brasileiro se desvalorizaria.

Percepção dos investidores sobre o câmbio no governo de Marina

No final do documento, a XP Investimentos escreve que o relatório tem como objetivo “fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento” e alerta que a “XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247