Entidades do movimento negro ajuízam ação contra Defensor que processou Magalu

As entidades pedem que seja instaurado procedimento para averiguação da conduta de Jovino Bento Junior, que ajuizou ação contra a rede de lojas Magazine Luiza, que criou programa de trainees exclusivo para negros

Jovino Bento Júnior
Jovino Bento Júnior (Foto: Divulgação/ DPU)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Conjur - O Instituto de Advocacia Racial e Ambiental (Iara), a Associação Afoxé Filhos de Gandy, a Associação Cultural Bloco Carnavalesco Ilê Aiyê e o bloco afro Olodum ajuizaram ação civil pública contra o defensor Jovino Bento Júnior.

Na ação, as entidades pedem que seja instaurado procedimento para averiguação da conduta do defensor. Junior ajuizou uma ação contra a rede de lojas Magazine Luiza, que criou programa de trainees exclusivo para negros que propunha uma multa de R$ 10 milhões.

Especialistas ouvidos pela ConJur confirmaram a legalidade da iniciativa da rede de lojas. A ação do defensor foi alvo de críticas da comunidade jurídica e de pares da Defensoria Pública.

Na ocasião, a Defensoria Pública da União defendeu ações afirmativas e informou que a atuação dos defensores públicos federais se baseia no princípio da independência funcional e, por essa razão, o processo movido por Júnior não depende de prévia análise de mérito ou autorização hierárquica superior.

Na última terça-feira (13/10), o Ministério Público do Trabalho pediu que a ação da Defensoria Pública da União contra o programa de trainee seja extinta. O processo corre na 15ª Vara do Trabalho de Brasília.

A ação das entidades dos movimentos negros apresentada pela Iara é assinada por Luís Guilherme Martins Vieira, Ana Carolina Gonçalves Soares, Luísa Capanema Vieira, Pedro M. de Almeida Castro, Octavio Orzari, Vinícius André de Souza, Humberto Adami Santos e Felipe Zeraik, como presidente do Iara. O Bloco Afro Muzenza também apresentou petição reiterando o pedido das outras entidades.

Após a repercussão do caso, o defensor Jovino Bento Júnior pediu afastamento — com manutenção dos salários —  da DPU, alegando ter sofrido ameaças de morte e solicitando proteção policial. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247