Esquema liderado por Temer teria movimentado R$ 1,8 bi, diz MPF

No pedido de prisão preventiva que resultou na detenção do ex-presidente Michel Temer por agentes da Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (21), o MPF diz que as investigações apontam que a organização criminosa liderada pelo emedebista estaria em atividade há 40 anos e  teria praticado diversos crimes que envolveriam estatais e órgãos públicos cuja movimentação chegaria a R$ 1,8 bilhão

Esquema liderado por Temer teria movimentado R$ 1,8 bi, diz MPF
Esquema liderado por Temer teria movimentado R$ 1,8 bi, diz MPF (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

247 - No pedido de prisão preventiva que resultou na detenção do ex-presidente Michel Temer por agentes da Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (21), o Ministério Público Federal (MPF) diz que as investigações apontam que a organização criminosa liderada pelo emedebista teria praticado diversos crimes que envolveriam estatais e órgãos públicos e movimentado cerca de R$ 1,8 bilhão. São investigados os crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro.

Ainda segundo o mandado de prisão, Temer seria como chefe de uma organização criminosa que atua há 40 anos. Temer foi preso na manhã desta quinta-feira (21) por agentes federais em São Paulo. Ele foi transferido para o Rio de janeiro, de onde foi expedido o mandado de prisão pelo juiz federal Marcelo Bretas, responsável pelos processos da Lava Jato no Rio. Também foi preso na operação o ex-ministro de Minas e Energia Moreira Franco.

A prisão teve como base a delação de José Antunes Sobrinho, dono da empreiteira Engevix, que disse ter pago R$ 1 milhão em propina, a pedido do coronel João Baptista Lima Filho (amigo de Temer e apontado como operador de propinas do emedebista) e do ex-ministro Moreira Franco e com o conhecimento do próprio Temer.

Além deste, Temer responde a outros nove inquéritos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247