Esquerda lamenta morte de Marco Aurélio Garcia

A morte do professor Marco Aurélio Garcia, ex-assessor especial da Presidência da República, repercutiu entre líderes e políticos da esquerda brasileira; atuante no PT desde a sua fundação, Garcia foi um importante líder na construção e execução da política externa brasileira durante o governo de Lula, além de ser um dos grande apoiadores dos Brics e do fortalecimento das relações Sul-Sul; nas redes sociais, vários parlamentares e líderes lamentaram a perda. Leia algumas manifestações

A morte do professor Marco Aurélio Garcia, ex-assessor especial da Presidência da República, repercutiu entre líderes e políticos da esquerda brasileira; atuante no PT desde a sua fundação, Garcia foi um importante líder na construção e execução da política externa brasileira durante o governo de Lula, além de ser um dos grande apoiadores dos Brics e do fortalecimento das relações Sul-Sul; nas redes sociais, vários parlamentares e líderes lamentaram a perda. Leia algumas manifestações
A morte do professor Marco Aurélio Garcia, ex-assessor especial da Presidência da República, repercutiu entre líderes e políticos da esquerda brasileira; atuante no PT desde a sua fundação, Garcia foi um importante líder na construção e execução da política externa brasileira durante o governo de Lula, além de ser um dos grande apoiadores dos Brics e do fortalecimento das relações Sul-Sul; nas redes sociais, vários parlamentares e líderes lamentaram a perda. Leia algumas manifestações (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A morte do professor Marco Aurélio Garcia, ex-assessor especial da Presidência da República, repercutiu entre líderes e políticos da esquerda brasileira. 

Atuante no Partido dos Trabalhadores desde a sua fundação no colégio Sion, Garcia era professor aposentado do Departamento de História da Unicamp e historicamente vinculado à esquerda. Ele foi um importante líder na construção e execução da política externa brasileira durante o governo de Lula, além de ser um dos grande apoiadores dos Brics e do fortalecimento das relações Sul-Sul (leia mais).

Nas redes sociais, vários parlamentares e líderes lamentaram a perda. Leia algumas manifestações: 

 

 

 

 

 

Senador Jorge Viana:

"O professor Marco Aurélio era um intelectual e militante apaixonado pela política, um perseverante sonhador que lutou pela justiça social desde a juventude. Sempre foi uma referência dentro do PT e um gigante no campo das ideias. Um democrata respeitado em todo o mundo. Ele sempre foi um homem do diálogo, defensor intransigente de um mundo e um Brasil mais justo. Foi um privilégio ter convivido com ele. É muito triste para todos nós, do PT, esta quinta-feira. Lamento muito a sua morte."

Valter Pomar, que foi dirigente nacional do Partido dos Trabalhadores, também lamentou a perda:

"O companheiro Marco Aurélio Garcia faleceu nesta manhã. Presidente nacional do PT e secretário de relações internacionais do PT. Secretário executivo do Foro de SP. Assessor especial de Lula e de Dilma na Presidência da República.

Secretário de cultura em Campinas. Professor da UNICAMP, historiador. Exilado na França e no Chile durante a ditadura militar. Vereador em Porto Alegre pelo PCB. Militante do movimento estudantil. No momento não ocupava nenhum cargo na direção do PT.
Marco Aurélio, presente!!!!"

Washington Quaquá, presidente do PT-RJ, também comentou:

"Lamentável!

O PT, a nação brasileira que iniciamos e almejamos construir, o povo brasileiro embora possa nem desconfiar disto, a esquerda e todos nós perdemos uma figura maior! Um daqueles que não nascem em linha de produção, porque é fruto do Velho artesanato humano é divino, pra quem acredita.

Surprendente a morte de Marco Aurélio Garcia, um dos grandes responsáveis por tudo que somos e nos transformamos: o maior fenômeno político e social da história do povo brasileiro.

Um historiador que mais que tudo fez história!"

(Com informações da Agência PT de Notícias)

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247