"Estado não pode compactuar com escalada da violência", diz PT sobre ataque ao Porta dos Fundos

Em nota, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, repudiou o ataque terrorista contra o grupo Porta dos Fundos e cobrou investigação dos suspeitos. "O atentado e o vídeo remetem ao que é há de pior na história, desafiam as leis e atacam a civilização", afirma

(Foto: Reprodução/Youtube)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, divulgou nota na noite desta quinta-feira, 26, em que rechaça e cobra providências sobre o ataque terrorista executado contra a sede do canal Porta dos Fundos. 

A dirigente do PT diz que o atentado com coqueteis molotov e o vídeo do suposto grupo integralista que revindica a autoria do ataque remetem ao que há de pior na história, desafiam as leis e atacam a civilização. "Exigem, por parte das autoridades do país, investigação, apuração dos fatos e identificação dos autores para que respondam por seus crimes", diz ela. 

"O Estado não pode compactuar com a escalada de violência que estamos assistindo. E a sociedade brasileira não pode se omitir diante dessa escalada. Precisamos da energia de todos que acreditam na democracia e na luta pelos direitos como caminho para uma sociedade mais justa e igualitária", acrescenta a presidente do PT. 

Nesta quinta-feira, a Polícia Civil do Rio informou que não investigará o caso como terrorismo. O secretário Marcus Vinícius Braga e outras autoridades da Polícia Civil receberam na manhã de hoje o ator João Vicente, que representou o Porta dos Fundos ao lado do advogado do grupo. 

A Lei Antiterrorismo, sancionada em 2016 pela ex-presidente Dilma Rousseff diz que "o terrorismo consiste na prática por um ou mais indivíduos dos atos previstos neste artigo, por razões de xenofobia, discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia e religião, quando cometidos com a finalidade de provocar terror social ou generalizado, expondo a perigo pessoa, patrimônio, a paz pública ou a incolumidade pública". Apesar disso, o secretário Marcus Vinícius Braga, disse que "terrorismo não é hipótese investigada" (leia mais no Brasil 247).

Leia, abaixo a nota do PT na íntegra:

Nota do PT sobre o atentado ao Porta dos Fundos

A fé cristã, assim como outras religiões, propõe a solidariedade, o perdão e a tolerância. É o oposto do que fizeram os autores do atentado ao grupo Porta dos Fundos na noite de Natal. É o oposto do que prega o vídeo divulgado ontem por um grupo que reivindica o atentado criminoso.

São ações e palavras que atentam contra vida e desmerecem a humanidade. O atentado e o vídeo remetem ao que é há de pior na história, desafiam as leis e atacam a civilização. Exigem, por parte das autoridades do país, investigação, apuração dos fatos e identificação dos autores para que respondam por seus crimes.

O PT tem na origem um forte vínculo com as comunidades eclesiais de base e com outros movimentos fundados na religiosidade.

Respeitamos as religiões e a fé, da mesma forma que defendemos a liberdade de expressão e criação. Jamais atentamos contra a religiosidade e a liberdade de culto, assim como defendemos o direito das pessoas serem como são, livres de qualquer espécie de discriminação.

Somos frontalmente contrários a violência, a incitação à guerra ou à intolerância. Para nós a democracia, a paz e os direitos serão sempre condutores de uma atitude a favor da vida, que é o que nos guia.

O Estado não pode compactuar com a escalada de violência que estamos assistindo. E a sociedade brasileira não pode se omitir diante dessa escalada. Precisamos da energia de todos que acreditam na democracia e na luta pelos direitos como caminho para uma sociedade mais justa e igualitária.

Gleisi Hoffmann
Presidenta Nacional do Partido dos Trabalhadores

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247