Estudantes da Federal do Acre acampam na universidade em protesto

Em Rio Branco, capital do Acre, estudantes acamparam no campus da Faculdade do Acre, no dia Nacional de Paralisação em Defesa da Educação; a paralisação ocorre em repúdio ao corte de 30% no orçamento discricionário de 2019 para todas as universidades e institutos federais, anunciado pelo MEC há alguns dias

Estudantes da Federal do Acre acampam na universidade em protesto
Estudantes da Federal do Acre acampam na universidade em protesto

247- Em Rio Branco, capital do Acre, estudantes acamparam no campus da Faculdade do Acre, no dia Nacional de Paralisação em Defesa da Educação, conforme informou o Mídia Ninja. O dia 15 de maio de 2019 deixará uma marca na história dos setores da educação no país. Essa é a avaliação de Douglas Izzo, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-SP), sobre a greve geral da educação que acontece nesta quarta-feira (15).

A paralisação ocorre em repúdio ao corte de 30% no orçamento discricionário de 2019 para todas as universidades e institutos federais, anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) há alguns dias. Segundo Izzo, o grande ato será um "esquenta" para a paralisação geral de todas as categorias convocada para 14 de junho. "Vai ser uma grande arrancada para construirmos a maior greve geral da história desse país e derrotar a proposta de reforma da Previdência do governo", afirma.

Ele acrescenta que as mobilizações evidenciam a crítica às políticas de Bolsonaro e de sua equipe ministerial. "Uma greve geral no primeiro semestre, ainda nem completando 6 meses de governo, significa que esse governo está caminhando para o lado errado", considera.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247