Estudo do Senado indica: mais da metade da população precisará receber auxílio emergencial

Número de pessoas que precisam e podem receber o auxílio emergencial pode superar metade da população brasileira e chegar a 112 milhões de pessoas

Fila para receber auxílio emergencial no Rio de Janeiro 15/4/2020
Fila para receber auxílio emergencial no Rio de Janeiro 15/4/2020 (Foto: REUTERS/Ricardo Moraes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um estudo da  IFI (Instituição Fiscal Independente), órgão do Senado, conclui que o auxílio emergencial para trabalhadores informais, que já é direcionado a  50 milhões de pessoas, pode chegar a 112 milhões, mais da metade da população brasileira.

A IFI realizou uma série de simulações com base nos dados das estatais Caixa e Dataprev até 1º de maio. Mantido o número de pessoas beneficiadas até agora, a despesa em três meses ficaria em R$ 96,5 bilhões. Segundo Alessandro Casalecchi, analista da IFI, responsável pelo estudo, o cenário mais provável é aquele que considera a inclusão de mais 17 milhões a esse número de 50 milhões, totalizando 38% da população e uma despesa de R$ 154,4 bilhões, cerca de cinco anos de gastos do Bolsa Família.

Nesse caso, o governo terá de arranjar mais R$ 30 bilhões. No cenário mais extremo, seriam pagos R$ 218 bilhões a 112 milhões de brasileiros, 53% da população, informa o jornalista Eduardo Cucolo, da Folha de S.Paulo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247