Eunício: Senado discutirá Previdência em fevereiro se Câmara aprovar texto enxuto em 2017

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), afirmou ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que o Senado pode iniciar os trabalhos em fevereiro, após o recesso legislativo, com a discussão da reforma da Previdência; mas a Câmara precisa aprovar o texto enxuto da proposta até o fim de 2017, segundo informou o peemedebista; a conversa aconteceu durante encontro neste domingo (26) na residência oficial do presidente da Câmara; ao blog de Andréia Sadi, Eunício disse que o democrata tentará colocar a reforma da Previdência para votação na Câmara entre os dias 7 e 15 de dezembro

Brasília - Entrevista coletiva com o presidente do Senado, Eunício Oliveira, que fala sobre a medida provisória da reforma trabalhista (Valter Campanato/Agência Brasil)
Brasília - Entrevista coletiva com o presidente do Senado, Eunício Oliveira, que fala sobre a medida provisória da reforma trabalhista (Valter Campanato/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), afirmou ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que o Senado pode iniciar os trabalhos em fevereiro, após o recesso legislativo, com a discussão da reforma da Previdência. Mas a Câmara precisa aprovar o texto enxuto da proposta até o fim de 2017, segundo informou o peemedebista. A conversa aconteceu durante encontro neste domingo (26) na residência oficial do presidente da Câmara.

Ao blog de Andréia Sadi, Eunício disse que o democrata tentará colocar a reforma da Previdência para votação na Câmara entre os dias 7 e 15 de dezembro. "Aí no Senado não dá mais tempo para discutir neste ano. Mas, se for a proposta enxuta, com aqueles pontos como transição, idade mínima e retirar privilégios, a gente abre o ano em 2018 com a discussão da reforma no Senado'', acrescentou.

Eunício também informou que Maia deve instalar nesta semana a comissão especial que discute o fim do foro privilegiado na Câmara. O projeto já foi aprovado no Senado e na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247