Ex-deputado aliado de Bolsonaro é preso por incitar motim na PM-ES

Ex-deputado federal e capitão da reserva Lucinio Castelo de Assumção se entregou nesta terça-feira, 28, na Corregedoria da Polícia Militar do Espírito Santo; junto com outros três militares, Assumção tinha mandado de prisão expedido pela Justiça Militar, sob acusação de participação no motim que paralisou o policiamento no Espírito Santo, deixando 198 mortos; desde o início do motim, o ex-deputado aliado de Bolsonaro compartilhou em redes sociais cerca de 30 vídeos incentivando o movimento de familiares que bloqueou os portões dos batalhões e criticando o governo do Espírito Santo; "A responsabilidade por esta onda de violência é do governo do Espírito Santo intransigente", escreveu

Ex-deputado federal e capitão da reserva Lucinio Castelo de Assumção se entregou nesta terça-feira, 28, na Corregedoria da Polícia Militar do Espírito Santo; junto com outros três militares, Assumção tinha mandado de prisão expedido pela Justiça Militar, sob acusação de participação no motim que paralisou o policiamento no Espírito Santo, deixando 198 mortos; desde o início do motim, o ex-deputado aliado de Bolsonaro compartilhou em redes sociais cerca de 30 vídeos incentivando o movimento de familiares que bloqueou os portões dos batalhões e criticando o governo do Espírito Santo; "A responsabilidade por esta onda de violência é do governo do Espírito Santo intransigente", escreveu
Ex-deputado federal e capitão da reserva Lucinio Castelo de Assumção se entregou nesta terça-feira, 28, na Corregedoria da Polícia Militar do Espírito Santo; junto com outros três militares, Assumção tinha mandado de prisão expedido pela Justiça Militar, sob acusação de participação no motim que paralisou o policiamento no Espírito Santo, deixando 198 mortos; desde o início do motim, o ex-deputado aliado de Bolsonaro compartilhou em redes sociais cerca de 30 vídeos incentivando o movimento de familiares que bloqueou os portões dos batalhões e criticando o governo do Espírito Santo; "A responsabilidade por esta onda de violência é do governo do Espírito Santo intransigente", escreveu (Foto: Aquiles Lins)

247 - O ex-deputado federal e capitão da reserva Lucinio Castelo de Assumção se entregou nesta terça-feira, 28, na Corregedoria da Polícia Militar do Espírito Santo.

Assumção é aliado do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e tinha contra si mandado de prisão, expedido pela Justiça Militar, sob acusação de participação no motim que paralisou o policiamento no Espírito Santo, deixando 198 mortos entre os últimos dias 3 e 24, segundo o Sindicato dos Policiais Civis.

Outros três militares também tiveram prisão decretada. Na segunda (27), o sargento Aurélio Robson Fonseca da Silva também se entregou. O tenente-coronel Carlos Alberto Foresti está preso desde sábado (25). Ainda falta cumprir o mandado de prisão do soldado Maxsom Luiz da Conceição.

Desde o início do motim, o ex-deputado aliado de Bolsonaro compartilhou em redes sociais cerca de 30 vídeos incentivando o movimento de familiares que bloqueou os portões dos batalhões e criticando o governo do Espírito Santo.

"A responsabilidade por esta onda de violência é do governo do Espírito Santo intransigente", escreveu. "Familiares resistem bravamente à frente do Batalhão de Missões Especiais. Comando está ameaçando os policiais militares. Venham todos pra cá apoiar os nossos familiares", diz outra publicação.

Lucinio Castelo de Assumção integrou o grupo ligado ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), pré-candidato ao Planalto, que esteve na linha de frente da comunicação e da logística do motim que parou a Polícia Militar do Espírito Santo, segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo (leia mais).

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247