Ex-ministro de Tribunal Militar pede que Dilma renuncie

Um grupo de juristas defendeu durante um encontro de ex-alunos da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo que a presidente Dilma Rousseff renuncie ao seu mandato como uma forma de preservar as instituições; ex-ministro do Supremo Tribunal Militar, Flavio Flores da Cunha Bierrenbach pediu um "gesto de grandeza, para que a senhora presidente da República preserve tanto as instituições que jurou defender como sua própria biografia"; "Renúncia já!", bradou

Um grupo de juristas defendeu durante um encontro de ex-alunos da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo que a presidente Dilma Rousseff renuncie ao seu mandato como uma forma de preservar as instituições; ex-ministro do Supremo Tribunal Militar, Flavio Flores da Cunha Bierrenbach pediu um "gesto de grandeza, para que a senhora presidente da República preserve tanto as instituições que jurou defender como sua própria biografia"; "Renúncia já!", bradou
Um grupo de juristas defendeu durante um encontro de ex-alunos da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo que a presidente Dilma Rousseff renuncie ao seu mandato como uma forma de preservar as instituições; ex-ministro do Supremo Tribunal Militar, Flavio Flores da Cunha Bierrenbach pediu um "gesto de grandeza, para que a senhora presidente da República preserve tanto as instituições que jurou defender como sua própria biografia"; "Renúncia já!", bradou (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um grupo de juristas defendeu durante um encontro de ex-alunos da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo que a presidente Dilma Rousseff renuncie ao seu mandato como uma forma de preservar as instituições.

De acordo com ex-ministro do Supremo Tribunal Militar (STM) Flavio Flores da Cunha Bierrenbach as instituições foram duramente atingidas por diversos escândalos de corrupção nos governos Lula e Dilma e, segundo ele, "o Brasil não pode ser hipotecado à corrupção".

"O povo brasileiro não suporta mais o estigma de legatário da herança maldita das felonias de seus governos. Governos cujo espólio inclui escândalos que se sucedem como pragas bíblicas, dentre os quais o desmanche da Petrobras é o mais revoltante", disparou Bierrenbach.

Ele também criticou os partidos de oposição ao afirmar que "a oposição, caso existisse, bem poderia apontar algum rumo, fora dos figurinos embolorados do oportunismo de ocasião".

Ao final da sua fala, Bierrenbach pediu a presidente Dilma um "gesto de grandeza, para que a senhora presidente da República preserve tanto as instituições que jurou defender como sua própria biografia". "Renúncia já!", bradou em seguida.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email