Ex-PGR e ex-procuradores pedem que Aras denuncie Bolsonaro por crimes contra a saúde

Ex-PGR Claudio Fonteles, a ex-procuradora federal dos Direitos do Cidadão Deborah Duprat, além de outros três ex-integrantes do MPF, aponta em representação a Augusto Aras inúmeras condutas de Jair Bolsonaro "para retardar ou mesmo frustrar o processo de vacinação" contra a Covid-19

(Foto: Bruno Kelly/Reuters | Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Conjur - Um grupo de procuradores aposentados pediu à Procuradoria-Geral da República que seja oferecida denúncia contra o presidente Jair Bolsonaro por crime contra a saúde pública. A representação foi protocolada nesta sexta-feira (29) e tem como base as inúmeras condutas do presidente "para retardar ou mesmo frustrar o processo de vacinação" contra a Covid-19.

Caso o PGR, Augusto Aras, não acolha o crime de epidemia (artigo 267 do Código Penal), eles pedem que sejam enquadrados os seguintes crimes: perigo para a vida ou saúde de outrem; infração de medida sanitária preventiva; emprego irregular de verbas ou rendas públicas e prevaricação.

Na peça, os juristas apontam que Bolsonaro, desde o início da epidemia, tem negado a principal política sanitária recomendada — o isolamento social. Além disso, criticam que o presidente tenha exposto a população ao risco de contaminação.

O crime, dizem os ex-procuradores, é de perigo abstrato. "Significa dizer que a mera conduta concretamente propiciadora da propagação de germes patogênicos realiza a figura típica. Essa conclusão é atualmente endossada pela disciplina constitucional da saúde pública e seu caráter notadamente preventivo", afirmam.

Eles também reforçam os argumentos levados à PGR pela Associação Juízes para a Democracia (AJD). Na última terça, o grupo de magistrados protocolou representação em que reclama do não seguimento às recomendação da OMS para prevenir infecções e minimizar o impacto da crise de saúde no Brasil. A condução de Bolsonaro é caracterizada como desastrosa. 

Assinam a peça os procuradores federais aposentados Debora Duprat, Alvaro Ribeiro Costa, Wagner Gonçalves; o ex-PGR, Claudio Lemos Fontelles; o subprocurador-geral aposentado, Paulo de Tarso Braz Lucas; e o desembargador aposentado do TRF-4, Manoel Lauro Volkmer de Castilho.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email