Existência de dúvida deve favorecer Lula, afirma Zanin

A defesa do ex-presidente Lula, através do advogado Cristiano Zanin Martins, minimizou a decisão da Segunda Turma do STF de rejeitar uma liminar para libertar petista e demonstrou confiança de que, quando a discussão de mérito voltar, a suspeição do então juiz Sérgio Moro na condução dos processos contra o político será reconhecida

(Foto: Rovena Rosa - ABR)

247 -  A defesa do ex-presidente Lula, através do advogado Cristiano Zanin Martins, minimizou a decisão da Segunda Turma do STF de rejeitar uma liminar para libertar o ex-presidente e demonstrou confiança de que, quando a discussão de mérito for à votação, a suspeição do então juiz Sérgio Moro na condução dos processos contra o político será reconhecida.

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo destaca a fala de Zanin: "'a tão-só existência de dúvida deve militar em favor do acusado', disse Zanin, depois do julgamento, em que o ministro Gilmar Mendes disse ter dúvidas sobre a imparcialidade de Moro, hoje ministro da Justiça do governo Jair Bolsonaro. O caso não poderá voltar a ser julgado antes de agosto devido ao recesso do judiciário."

A matéria ainda sublinha que "o foco da defesa, segundo ele, continua sendo a liberdade de Lula, e não a progressão de regime. 'É o único resultado compatível para uma pessoa que não cometeu crime', disse, sem adiantar se haverá algum novo habeas corpus durante o recesso."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247