Fachin precisou de 45 minutos para anular julgamento de Lula

O intervalo de tempo entre a publicação da decisão do TRF-4, de Porto Alegre, e do ministro Edson Fachin, do STF, que arquivou na noite desta sexta 22 o recurso que julgaria a liberdade do ex-presidente Lula na próxima terça, foi de apenas 45 minutos; em nota após a decisão de Fachin, o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, informou que irá recorrer e demonstrou estranhamento com o timing do TRF-4

O intervalo de tempo entre a publicação da decisão do TRF-4, de Porto Alegre, e do ministro Edson Fachin, do STF, que arquivou na noite desta sexta 22 o recurso que julgaria a liberdade do ex-presidente Lula na próxima terça, foi de apenas 45 minutos; em nota após a decisão de Fachin, o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, informou que irá recorrer e demonstrou estranhamento com o timing do TRF-4
O intervalo de tempo entre a publicação da decisão do TRF-4, de Porto Alegre, e do ministro Edson Fachin, do STF, que arquivou na noite desta sexta 22 o recurso que julgaria a liberdade do ex-presidente Lula na próxima terça, foi de apenas 45 minutos; em nota após a decisão de Fachin, o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, informou que irá recorrer e demonstrou estranhamento com o timing do TRF-4 (Foto: Felipe L. Goncalves)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O intervalo de tempo entre a publicação da decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que arquivou na noite desta sexta 22 o recurso que julgaria a liberdade do ex-presidente Lula foi de 45 minutos.

Às 19h, o TRF-4 publicou em seu site (que está fora do ar neste sábado) a decisão da vice-presidente do tribunal, desembargadora Maria de Fátima Freitas Labarrère, que admitiu o recurso especial do ex-presidente e negou o extraordinário.

Por conta da decisão, Fachin arquivou o pedido da defesa de Lula de suspensão da condenação pelo tribunal de Porto Alegre, uma vez que os advogados argumentavam que Lula não poderia estar preso sem que os últimos recursos do TRF-4 fossem julgados. A decisão de Fachin foi publicada no site do Supremo às 19h45.

A liberdade de Lula seria julgada na Segunda Turma do STF na próxima terça-feira 26. Em nota divulgada após a decisão de Fachin, o advogado Cristiano Zanin Martins, da equipe da defesa de Lula, demonstrou estranhamento com o timing do TRF-4.

"A defesa do ex-presidente Lula recorrerá das decisões proferidas nesta sexta 22 e estranha que o TRF4 tenha analisado a admissibilidade do recurso extraordinário às vésperas do julgamento marcado pela presidência da 2a. Turma do STF para analisar o pedido de liberdade do ex-presidente", observa.

 

 



O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247