Família Bolsonaro: entre continências e surtos

O jornalista Ricardo Miranda se divide entre debater as teorias conspiratórias nada inocentes compartilhadas por Carlos Bolsonaro, o filho mais novo do presidente eleito, e o sabujismo do pai, que mais uma vez prestou reverência aos Estados Unidos, mostrando seu compromisso com o imperialismo

Família Bolsonaro: entre continências e surtos
Família Bolsonaro: entre continências e surtos

247 - Em uma análise sobre a movimentação da família Bolsonaro nesta quinta-feira (29), o jornalista Ricardo Miranda ficou dividido entre falar sobre a submissão do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) à política externa estado-unidense e os delírio de seu filho mais novo, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL), que gasta seu tempo criando terapias conspiratórias nas redes sociais.

Primeiro, Miranda relata os posts de Carlos Bolsonaro sobre uma possível teoria conspiratória envolvendo a morte de seu pai. "Carlos atuou como responsável pelas redes sociais do pai em sua trajetória no Congresso e chegou a ser cogitado pelo eleito para assumir a Secretaria de Comunicação do governo. Acreditar que seu Tweet não foi feito de caso pensado é subestimá-lo – algo que eu não faria", conta o jornalista.

Depois, ele não deixa passar batida a continência batida por seu pai, presidente eleito, a um funcionário de segundo escalão do governo dos Estados Unidos, regido por Donald Trump. "A continência, como se sabe, é uma saudação militar e uma das maneiras de manifestar respeito e apreço aos seus superiores. Gesto reflexo? Outra de suas “marcas registradas”, como apontar “arminhas” com as mãos? Ou capachismo explícito? O leitor decide", complementa.

Leia o texto na íntegra aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247