Filho de Cerveró diz que recebeu R$ 50 mil em nome de Delcídio

Bernardo Cerveró, pivô da prisão do senador Delcidio Amaral (PT-MS) e do banqueiro André Esteves, afirmou em depoimento à Procuradoria-Geral da República que o ex-advogado de seu pai Edson Ribeiro, que também foi preso na Lava Jato, lhe entregou R$ 50 mil em espécie durante uma reunião entre os dois, enviado pelo ex-líder do Governo

Bernardo Cerveró, pivô da prisão do senador Delcidio Amaral (PT-MS) e do banqueiro André Esteves, afirmou em depoimento à Procuradoria-Geral da República que o ex-advogado de seu pai Edson Ribeiro, que também foi preso na Lava Jato, lhe entregou R$ 50 mil em espécie durante uma reunião entre os dois, enviado pelo ex-líder do Governo
Bernardo Cerveró, pivô da prisão do senador Delcidio Amaral (PT-MS) e do banqueiro André Esteves, afirmou em depoimento à Procuradoria-Geral da República que o ex-advogado de seu pai Edson Ribeiro, que também foi preso na Lava Jato, lhe entregou R$ 50 mil em espécie durante uma reunião entre os dois, enviado pelo ex-líder do Governo (Foto: Roberta Namour)

247 - Filho do ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró, Bernardo Cerveró, afirmou em depoimento à Procuradoria-Geral da República que o ex-advogado do pai Edson Ribeiro lhe entregou R$ 50 mil em espécie durante uma reunião entre os dois, enviado pelo senador Delcídio Amaral (PT/MS), ex-líder do Governo.

Bernardo é o pivô da prisão do parlamentar, do banqueiro André Esteves e de Ribeiro. Ele gravou conversas entre eles que indicavam tentativa de atrapalhar a operação Lava Jato e a delação de Cerveró.

Segundo o filho de Nestor Cerveró, um dos encontros entre ele e Edson Ribeiro ocorreu no escritório do advogado Nelio Machado, advogado do lobista Fernando Baiano durante parte da Lava Jato.

Leia aqui reportagem de Julia Affonso e Fausto Macedo sobre o assunto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247