Flávio e Carlos Bolsonaro pagaram débito com corretora com dinheiro vivo

Pagamento de R$ 31 mil em espécie teria sido usado pelo vereador Carlos Bolsonaro (PSC) e pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) para quitar dívidas resultantes de prejuízos no mercado financeiro. Para o MP, uso de dinheiro vivo reforça suspeita de irregularidades

(Foto: Reprodução Facebook)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O vereador Carlos Bolsonaro (PSC) e o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) pagaram R$ 31 mil em espécie para quitar prejuízos resultantes de investimentos feitos na Bolsa por meio de uma corretora de valores. 

Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, o valor teria sido repassado em 2009, quando Flávio estava sob investigação por causa da suspeita de um esquema de “rachadinha” quando ocupava um gabinete na Assembleia Legislativa d Rio de Janeiro (Alerj). O vereador Carlos Bolsonaro também é investigado pela suspeita de empregar funcionários fantasmas. O Pagamento em dinheiro vivo é considerado pelo Ministério Público como uma evidência de irregularidades. 

Ainda de acordo com a reportagem, o pagamento em espécie  teria sido relatado pelos parlamentares durante depoimento à Justiça em processos movidos contra o Citigroup, que adquiriu a corretora Intra, responsável pela negociação com os filhos de Jair Bolsonaro. 

Os pagamentos teriam coberto prejuízos do investimento iniciado em 2007. Carlos teria dito que repassou R$ 130 mil à Intra, e o senador Flávio Bolsonaro, R$ 90 mil.

Em maio de 2009, porém, eles teriam sido informados de que ambos ainda deviam R$ 15,5 mil cada. O valor seria referente a perdas resultantes da crise financeira de 2008. Os parlamentares negam a existência de irregularidades. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247