Florestan: Fux conseguiu desmoralizar o STF

O jornalista Florestan Fernandes Júnior, que integra a rede de Jornalistas pela Democracia, avalia que o ministro Luiz Fux desmoralizou o STF, ao conceder foro privilegiado ao motorista Fabrício Queiroz, apontado como laranja da família Bolsonaro; "Tudo isso aí desmoraliza o Supremo", disse; "E Moro ficou numa situação desconfortável. Como ele pode ser ministro da Justiça de um governo que se apega ao foro privilegiado?", questionou; assista ao vídeo

Florestan: Fux conseguiu desmoralizar o STF
Florestan: Fux conseguiu desmoralizar o STF
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Florestan Fernandes Júnior, que integra a rede de Jornalistas pela Democracia, avalia que o ministro Luiz Fux desmoralizou o Supremo Tribunal Federal, ao conceder foro privilegiado ao motorista Fabrício Queiroz, apontado como laranja da família Bolsonaro. Nesta quinta-feira (17), Fux paralisou as investigações contra o Queiroz, que fez uma movimentação atípica superior a R$ 1,2 milhão entre 2016 e 2017, segundo o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Segundo o jornalista, a decisão foi estranha. "Tudo isso aí desmoraliza o Supremo. O País foi às ruas contra corrupção, Sérgio Moro falando que foro privilegiado é impunidade para políticos e agora eles vão preservar isso? Como fica o (ex) juiz Moro agora?", questionou.

O Coaf também identificou pagamentos de R$ 24 mil a Michelle Bolsonaro, mulher do presidente Jair Bolsonaro.

"A população deve estar achando estranho: 'o cara era assessor de Flávio Bolsonaro. Ninguém explica nada. Agora cancelam depoimentos'. O País não pode viver assim. Tem que ser transparente. E Moro ficou numa situação desconfortável. Como ele pode ser ministro da Justiça de um governo que se apega ao foro privilegiado?", indagou Florestan. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247