Fotógrafo de Herzog admite farsa que ajudou a derrubar a ditadura

Silvaldo Vieira, que fugiu do Brasil, diz ter sido usado pelo regime para produzir sua maior mentira: a do suicdio do jornalista

Fotógrafo de Herzog admite farsa que ajudou a derrubar a ditadura
Fotógrafo de Herzog admite farsa que ajudou a derrubar a ditadura (Foto: Divulgação)

247 – De todas as imagens da ditadura militar brasileira, nenhuma é tão impactante quanto a de Vladimir Herzog morto. De maneira grosseira, ela tenta simular o suicídio do jornalista torturado até a morte nos porões da repressão. O clique foi feito pelo fotógrafo santista Silvaldo Leung Vieira, que trabalhava no Instituto de Criminalística de São Paulo e que, depois da farsa, que ajudou a derrubar o regime, se viu forçado a fugir do Brasil.

Em reportagem publicada neste domingo, a Folha de S. Paulo o localizou em Los Angeles, nos Estados Unidos, onde vive desde 1979. “Ainda hoje carrego um triste sentimento de ter sido usado para montar essas mentiras”, disse ele ao jornal.

Ex-diretor da TV Cultura, Vlado, como era chamado, militava no Partido Comunista Brasileiro e não exercia atividades clandestinas. Além disso, condenava a luta armada. Quando foi , chamado a depor, decidiu comparecer espontaneamente ao DOI-Codi, na rua Tutoia, em São Paulo. Lá, foi barbaramente torturado. E quando Silvaldo foi chamado ao local, a cena do “suicídio” estava pronta: o corpo pendia de uma tira de pano atada à janela. “Não tive liberdade. Fiz aquela foto praticamente da porta. Não fiquei com nada, câmera, negativo ou qualquer registro. Só dias depois fui entender o que tinha acontecido”, disse o fotógrafo. “Tudo foi manipulado e infelizmente eu acabei fazendo parte dessa manipulação.”

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247