Frente contra golpe pode parar o País nesta sexta

Protesto agendado para esta sexta-feira (15) ameaça fechar estradas em vários Estados brasileiros durante mobilização contrária ao impeachment da presidente Dilma Rousseff; os atos foram convocados pela Frente Brasil Popular; "As ações desta sexta serão uma demonstração do que vai acontecer no Brasil caso o impeachment prospere", disse o coordenador da Central de Movimentos Populares, Raimundo Bonfim

Protesto agendado para esta sexta-feira (15) ameaça fechar estradas em vários Estados brasileiros durante mobilização contrária ao impeachment da presidente Dilma Rousseff; os atos foram convocados pela Frente Brasil Popular; "As ações desta sexta serão uma demonstração do que vai acontecer no Brasil caso o impeachment prospere", disse o coordenador da Central de Movimentos Populares, Raimundo Bonfim
Protesto agendado para esta sexta-feira (15) ameaça fechar estradas em vários Estados brasileiros durante mobilização contrária ao impeachment da presidente Dilma Rousseff; os atos foram convocados pela Frente Brasil Popular; "As ações desta sexta serão uma demonstração do que vai acontecer no Brasil caso o impeachment prospere", disse o coordenador da Central de Movimentos Populares, Raimundo Bonfim (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Protesto agendado para esta sexta-feira (15) ameaça fechar estradas em vários Estados brasileiros durante mobilização contrária ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. Os atos foram convocados pela Frente Brasil Popular, que reúne mais de 60 entidades dos movimentos sindical e social, além dos partidos PT, PC do B e PDT.

O coordenador da Central de Movimentos Populares e membro da Frente Brasil Popular, Raimundo Bonfim, não confirma o fechamento de estradas. Ele diz apenas que haverá um "conjunto de ações no campo e na cidade". "As ações desta sexta serão uma demonstração do que vai acontecer no Brasil caso o impeachment prospere", disse. Além disso, os protestos servirão de "esquenta" para o domingo (17), data prevista para a votação do processo de impeachment na Câmara.

Coordenador estadual do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Josué Rocha disse que as movimentações contra o impeachment cresceram nesta semana, porque "o golpe está se evidenciando". "É um golpe que visa colocar no poder Michel Temer e Eduardo Cunha para um governo que vai claramente contra os trabalhadores", afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email