Fux vota em casos do patrão de sua filha

Ministro do STF ignora memorando de 1º de abril de 2011 na qual prometia não atuar em processos que tivessem o escritório do amigo Sergio Bermudes, que emprega sua filha Mariana, como parte; advogado foi o organizador da mega festa de aniversário de 60 anos de Fux, que não aconteceu depois da denúncia de assédio moral feita pelo ex-ministro José Dirceu sobre o julgamento do chamado mensalão; em entrevista ao 247, Bermudes afirmou que pagaria a festa "do próprio bolso" e que Fux só poderia se declarar impedido nos casos em que ele, Bermudes, fosse parte, ou que Mariana assinasse a petição

Fux vota em casos do patrão de sua filha
Fux vota em casos do patrão de sua filha
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Alvo de denúncias de assédio moral pelo ex-ministro José Dirceu (leia aqui), Luiz Fux cai em nova contradição. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) relatou três casos e participou de julgamentos de pelo menos outros três de interesse do escritório do advogado Sergio Bermudes, que emprega sua filha Marianna.

Em declaração assinada em 1º de abril de 2011, Fux prometia não atuar em processos que tivessem o amigo Sergio Bermudes como parte. Os processos são distribuídos livremente e por sorteio entre os ministros do STF. Caso o ministro sorteado para relatar o caso se julgue impedido ou se considere suspeito por questões de foro íntimo, o processo é redistribuído.

Em dois casos, em vez de se julgar impedido, Fux seguiu adiante com os processos que têm como advogado principal o próprio Sérgio Bermudes, depois da data do memorando.

Segundo o Estadão, em dois desses julgamentos, na 2ª Turma do STF, Fux acompanhou o voto de colegas a favor dos interesses defendidos por Bermudes. Em outras duas ocasiões as decisões colegiadas foram contrárias aos interesses dos clientes do advogado. Ele comandou ainda a análise de três processos como relator.

PUBLICIDADE

O advogado Sergio Bermudes foi responsável pela organização de uma festa de aniversário de 60 anos do ministro para mais de 200 convidados em sua residência, prevista para o próximo dia 26, com uma lista ilustre de convidados, como o governador Sergio Cabral e o prefeito Eduardo Paes. Após a polêmica com Dirceu, o evento foi cancelado.

Ao 247, Bermudes falou sobre a festa e suas relações com Fux. "Eu ia pagar a festa do meu bolso e a Receita Federal sabe que, depois de 42 anos de trabalho, tenho condições para isso", disse ele. Bermudes diz ainda que não tem qualquer influência sobre decisões do ministro. "Ele é meu amigo há 40 anos, já foi meu aluno e tem total isenção para votar em qualquer causa do escritório que chegue ao STF". Bermudes diz ainda que se algum cliente procurá-lo buscando influência será expulso da sala. "Eu considero isso um insulto".

PUBLICIDADE

Bermudes diz ainda que a filha de Fux, Mariana, tem totais condições de se tornar desembargadora. "Parto do pressuposto de que todos os advogados do escritório têm cabedal jurídico para assumir posições importantes no Judiciário".

Em seu escritório, Bermudes emprega também Guiomar Mendes, que é esposa do ministro Gilmar Mendes. Por isso mesmo, ele faz questão de rechaçar as insinuações de que mantenha "conluio" com integrantes do Poder Judiciário. "Essa é mais uma das leviandades do ministro Joaquim Barbosa", diz ele. "Membros da comunidade forense se relacionam entre si. Juízes se relacionam com advogados e não com veterinários".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email