Generais avaliam que saída de Moro do governo transformou Bolsonaro em uma espécie de "zumbi"

Avaliação de diversos generais é que Jair Bolsonaro virou uma espécie de “zumbi” enquanto Sergio Moro, que deixou o Ministério da Justiça nesta sexta-feira (24) acusando o ex-capitão de tentar interferir na autonomia da PF, fortaleceu sua posição política

Jair Bolsonaro deixa Palácio da Alvorada
Jair Bolsonaro deixa Palácio da Alvorada (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os militares, uma das principais bases de apoio e sustentação do governo Jair Bolsonaro, se mostraram “chocados” com as acusações contra Jair Bolsonaro feitas por Sérgio Moro ao deixar o Ministério da Justiça nesta sexta-feira (24). Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, oficiais-generais avaliam que Bolsonaro teria virado uma espécie de “zumbi” enquanto Moro fortaleceu sua posição política. 

“Tudo tem limite”, disse um dos generais à reportagem. Um outro militar afirmou que Bolsonaro cometeu “suicídio” e que não deverá mais recuperar o capital político de que dispunha até então. Ainda segundo os integrantes do alto escalão do Exército, os impactos das acusações feitas por Moro – de que Bolsonaro teria tentado interferir no comando da Polícia Federal para ter acesso a relatórios sigilosos sobre investigações em andamento – são “imprevisíveis”. 

“O que joga principalmente contra Bolsonaro, neste momento, é a credibilidade de Sérgio Moro. Portanto, mesmo que o governo ou o Palácio tente exigir que o ex-juiz da Lava Jato prove o que falou a credibilidade de Moro e o seu comportamento têm peso muito mais forte e fala por si”, destaca a reportagem.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247