General Ramos, em reunião na Saúde, disse ter levado a mulher em Hospital Militar usado por civis: 'horror, nível INSS' (vídeo)

Frase foi dita em reunião cujo vídeo foi deletado pelo Ministério da Saúde, a mesma em que Paulo Guedes disse que 'o chinês inventou o vírus'. Ramos também disse que pensou em "trocar de mulher", porque a dele estava "dando muito trabalho"

(Foto: Amanda Perobelli/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Casa Civil, general Luiz Eduardo Ramos, disparou uma série de ataques preconceituosos em um vídeo do dia 27 de abril que transmitiu ao vivo a reunião do  Conselho de Saúde Suplementar. Sem saber que estava sendo gravado, Ramos disse que, em visita ao Equador, sua esposa passou mal e teve que ir ao hospital militar daquele país.

“Ela teve que ir, aliás, tô pensando em trocar de mulher viu, ela só dá problema. Então, eu joguei ela lá e o cenário era horrível, pois o governo, que é de esquerda, resolveu abrir para civis o hospital, pior que INSS aquilo lá. E querem fazer o mesmo aqui”, disparou ele. 

Na mesma reunião, o ministro da Economia, Paulo Guedes provocou um incidente diplomático ao dizer que o "chinês inventou o vírus”, e que a vacina deles é menos efetiva que a dos americanos. Em seguida, ele reconheceu a incompetência do governo federal. "Nós do governo não teremos capacidade de cuidar da saúde do povo".

Na sequência, ele foi obrigado a pedir desculpas, mas o ataque gratuito aos chineses já afeta o envio de insumos ao Brasil, denuncia o Instituto Butantan. 

Leitos ociosos 

As Forças Armadas divulgaram, pela primeira vez na pandemia, os dados sobre ocupação de leitos para pacientes com Covid-19 nos hospitais militares, após determinação do Tribunal de Contas da União (TCU). De acordo com as planilhas, as Forças bloquearam leitos à espera de militares em enfermarias e em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e que há unidades com até 85% de vagas ociosas e elas não são abertas a pacientes civis. Os hospitais militares são mantidos com dinheiro público.

O TCU investiga possíveis irregularidades por parte de Ministério da Defesa, Exército, Aeronáutica e Marinha, porque essas instituições não ofertaram a civis leitos destinados a pacientes com Covid-19 em unidades militares de saúde. As unidades consumiram pelo menos R$ 2 bilhões do Orçamento da União em 2020, apontou uma auditoria do tribunal.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email