Gerente de empresa de oxigênio confirma negligência e revela que Pazuello só fez reunião às vésperas do colapso em Manaus

O relato reforça as suspeitas da Procuradoria-Geral da República (PGR) de que o Ministério da Saúde demorou para tomar ações concretas buscando evitar o colapso no Amazonas

(Foto: ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um relato reforça as suspeitas da Procuradoria-Geral da República (PGR) de que o Ministério da Saúde demorou para tomar ações concretas buscando evitar o colapso no Amazonas.

Segundo informações do jornal O Globo, em depoimento prestado ao Ministério Público Federal, o gerente da empresa fornecedora de oxigênio para o governo do Amazonas, Christiano Cruz, relatou que a White Martins só conseguiu se reunir com integrantes do Ministério da Saúde para relatar pessoalmente o grave problema na disponibilidade de oxigênio no Amazonas às vésperas do colapso.

A equipe do ministro Eduardo Pazuello havia recebido um ofício da empresa no dia 8 de janeiro alertando sobre a insuficiência dos estoques de oxigênio, mas só se reuniu com a White Martins no dia 11. Três dias depois, a rede entrou em colapso, e pacientes passaram a morrer por falta de oxigênio.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email