GGN: Dodge foi rápida e implacável com Favreto, omissa com a República de Curitiba

"As denúncias sobre a polêmica indústria da delação premiada repousam na mesa da comandante do Ministério Público Federal. Dodge notabiliza o uso de dois pesos e duas medidas quando o assunto é Lula e os abusos da República de Curitiba", diz a jornalista Cíntia Alves, no jornal GGN

GGN: Dodge foi rápida e implacável com Favreto, omissa com a República de Curitiba
GGN: Dodge foi rápida e implacável com Favreto, omissa com a República de Curitiba (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

247 - "Raquel Dodge já representou contra o desembargador que concedeu liberdade a Lula em duas frentes. Numa delas, no Conselho Nacional de Justiça, pede a pena máxima para Rogério Favreto: a aposentadoria compulsória", diz a jornalista Cíntia Alves, no jornal GGN. "Enquanto isso, as denúncias sobre a polêmica indústria da delação premiada repousam na mesa da comandante do Ministério Público Federal. Dodge notabiliza o uso de dois pesos e duas medidas quando o assunto é Lula e os abusos da República de Curitiba", acrescenta.

A jornalista reforça que "até o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, já cobrou publicamente a procuradora-geral sobre uma investigação contra os procuradores de Curitiba, pela suspeita de que eles escolhem os advogados com quem fecham acordos de colaboração". "Indícios só servem aos procuradores quando é Lula quem está no banco dos réus? Investigações só são solicitadas quando o magistrado foi favorável ao ex-presidente, à revelia ou mascarando os fundamentos de sua atuação?", questiona.

Leia a íntegra no GGN

Ao vivo na TV 247 Youtube 247