Gilmar: 'STJ agiu como deveria' no caso do Triplex e Lava jato virou 'partido'

Ministro do STF Gilmar Mendes disse que o julgamento do caso do triplex do Guarujá, que envolve ex-presidente Lula, realizado nesta terça-feira (23) pelo STJ foi "exemplar e que a Corte "agiu como um tribunal deve agir"; Gilmar afirmou, ainda, que a Lava Jato virou um partido político e que muitos abusos foram registrados sob a alegação de que se buscava reduzir a criminalidade

Gilmar: 'STJ agiu como deveria' no caso do Triplex e Lava jato virou 'partido'
Gilmar: 'STJ agiu como deveria' no caso do Triplex e Lava jato virou 'partido' (Foto: STF | Reuters )
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Para o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, o julgamento do caso do triplex do Guarujá, que envolve ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, realizado nesta terça-feira (23) pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) foi "exemplar". "O STJ agiu como um tribunal deve agir", disse. Gilmar afirmou, ainda, que a Lava Jato virou um partido político e que muitos abusos foram registrados sob a alegação de que se buscava reduzir a criminalidade.

Gilmar, que está em Portugal participando do VII Fórum Jurídico de Lisboa, organizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), do qual é um dos sócios, disse que o julgamento do STJ "passou um recado muito claro para instâncias ordinárias dizendo: não vá ao sapateiro além do sapato, então moderem-se nos seus instintos condenatórios". Ele reconheceu, porém, que a decisão desta terça-feira deverá acarretar em outros pedidos de Habeas Corpus a favor de Lula.

Gilmar também criticou duramente os integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato. Segundo ele, o grupo de trabalho acabou por virar um "partido político" e a tentativa da criação da "fundação Lava Jato", com gerenciamento de grandes montantes financeiros, seria uma "brincadeira que Dallagnol (procurador Deltan Dallagnol) teria para fazer política".

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247