Glenn Greenwald escreve, em CartaCapital, que Lava Jato conspirou contra Ciro, candidato que apoia

A procuradora Laura Tessler buscou com colegas um motivo para fazer uma operação contra Ciro: "louquinha para fazer uma visita”

www.brasil247.com - Glenn Greenwald e Ciro Gomes
Glenn Greenwald e Ciro Gomes (Foto: Agência Senado | Reuters)


247 - Após entrar em polêmica ao atacar o jornalista Brian Mier, comentarista da TV 247, para justificar seu apoio à candidatura do ex-ministro Ciro Gomes (PDT) à Presidência da República, o jornalista norte-americano Glenn Greenwald divulgou na CartaCapital novas conteúdos da Vaza Jato que mostram uma tentativa de perseguição por parte dos procuradores da Lava Jato contra o pedetista.

Greenwald reconhece que o lawfare sofrido pelo ex-presidente Lula (PT) seja o caso mais emblemático da parcialidade dos procuradores de Curitiba e do ex-juiz suspeito Sergio Moro, mas diz que o caso contra o petista não foi o único. "Membros da força tarefa repetidamente tramaram formas de usar seus poderes investigativos para tentar destruir outros críticos e adversários políticos, e levanta sérias questões sobre a recente investigação da PF contra Ciro e Cid Gomes".

O conteúdo revelado por Glenn mostra que a Lava Jato planejava vazar informações sobre políticos e outras personalidades que a criticava, tal como o ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (sem partido) e o editor e dono do site de notícias jurídicas ConJur, cujo “crime” foram suas reiteradas críticas à operação Lava Jato.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"No dia 13 de fevereiro de 2019, no grupo chamado 'Filhos do Januário 4', a procuradora Laura Tessler, sem nenhum motivo aparente, enviou uma mensagem perguntando se havia algo contra Ciro", relata a reportagem. A procuradora ainda se disse "louquinha para fazer uma visita para ele”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Um de seus colegas respondeu que o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro havia feito acusações contra Ciro em sua delação, mas que depois voltou atrás. Outra procuradora, Jerusa Viecilli, emendou: 'acordo da Galvao tem'. Tessler comemorou: 'Massa!'", diz ainda.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A recente operação da PF contra os irmãos Gomes pode ainda ser reflexo da perseguição lavajatista.

vaza-jato

Em declaração enviada à CartaCapital, Ciro Gomes diz que a revelação é “mais uma prova de que a organização criminosa comandada por Moro e Dallagnol transformou a estrutura da justiça em um covil de milicianos". "O tempo está servindo para desmascarar este método nefasto, mas seus efeitos, infelizmente, ainda vão perdurar. A operação abusiva que sofri recentemente é um reflexo tardio deste lavajatismo que ainda sobrevive", completou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Lava Jato também foi procurada e não quis se manifestar.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email