Governador diz que 'próximos dias serão difíceis', mas nega arrependimento por ter revogado lockdown no Amazonas

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), afirmou que "os próximos dias serão muito difíceis", mas não se arrepende de ter revogado o lockdown no estado. "Entramos em acordo com os órgãos de controle e com o comércio e encontrar um caminho de conciliação. Até que chegou o momento em que não deu mais para manter a flexibilização", disse

Wilson Lima
Wilson Lima (Foto: Secretaria de Estado de Saúde)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), afirmou que "os próximos dias serão muito difíceis", mas não se arrepende de ter revogado o lockdown no estado, onde novos casos de coronavírus deixam o sistema de saúde em colapso, com falta de até de oxigênio em algumas unidades hospitalares de Manaus.

"Todas as decisões que eu tomei foram baseadas em dados técnicos levando em consideração, de um lado, a proteção da vida, e de outro, levando em conta a importância das atividades econômicas. Quando a gente fez aquele decreto e houve aquelas manifestações, o resultado foi o efeito contrário ao que a gente buscava. Acabaram ocorrendo aglomerações. Aconteceu o que a gente não queria", disse o chefe do Executivo estadual em entrevista ao jornal O Globo.

"Então, entramos em acordo com os órgãos de controle e com o comércio e encontrar um caminho de conciliação. Até que chegou o momento em que não deu mais para manter a flexibilização", acrescentou.

De acordo com o governador, "os próximos dias serão muito difíceis". "A gente estima que a situação só vai melhorar, se estabilizar, dentro de dois dias. A gente acredita que em dois dias nós já tenhamos normalizado a nossa situação, levando em consideração que há uma possibilidade de transferência de pacientes e o fato de que teremos cargas de cilindros de oxigênio chegando".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email