Governador do Pará diz que 50 pessoas já morreram em casa de Covid e avalia lockdown

"Serão medidas para as cidades que já apresentam um percentual amplo de contaminação. Hoje 18 municípios do estado representam mais 95% dos casos da Covid-19 no Pará", afirmou Helder Barbalho, sobre endurecimento no combate ao coronavírus

(Foto: Valter Campanato / Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador do Pará, Helder Barbalho, afirmou neste domingo, 3, que já há registro de aproximadamente 50 mortes em domicílio nos últimos dez dias no Pará.

"Não tem justificativa para que as coisas não sejam mais rápidas. Eu tenho cobrado da minha equipe. O fato é que há 10 dias, a gente tinha uma média de cinco óbitos em domicílio. E nesse momento estamos chegando a 50 óbitos em domicílio. Estamos buscando desburocratizar esse processo, dialogando com a prefeitura de Belém, dialogando com os médicos, com a equipe legista, para que seja mais rápido", disse Barbalho à Globonews sobre a liberação de corpos pelo Serviço de Verificação de Óbito da Sespa.

O governador falou também sobre o endurecimento de medidas de isolamento para conter a propagação da Covid-19.

"Todas as pesquisas apontam que nós ficamos entre 45% e 50% de isolamento. Isso é muito baixo. Na última sexta, fiz um último apelo. Estamos na fase de conclusão de um projeto com bastante restrição, indo no caminho do lockdown. Não serão medidas para o estado todo. Serão medidas para as cidades que já apresentam um percentual amplo de contaminação. Hoje 18 municípios do estado representam mais 95% dos casos da Covid-19 no Pará", afirmou Helder Barbalho.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247