Governo articula com centrão a recriação de ministérios em troca de apoio

A proposta é dividir o Ministério da Economia em quatro pastas, recriando ministérios que foram extintos para distribuir aos partidos do chamado centrão para a manutenção da base de apoio ao governo no Congresso

Jair Bolsonaro e Congresso Nacional
Jair Bolsonaro e Congresso Nacional (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Enquanto Jair Bolsonaro discursa afirmando que "acabou o toma lá, dá cá" em particpação durante ato que pede o fechamento do Congresso Nacional, o governo se movimenta na articulação com partidos do chamado "centrão" para criar novos ministérios que possam incluir nomes em troca de apoio.

De acordo com reportagem da CNN, a proposta é dividir o Ministério da Economia em quatro pastas, recriando ministérios que foram extintos para distribuir aos partidos de centro para a manutenção da base de apoio ao governo.

Ainda de acordo com a reportagem, a distribuição das pastas, prevista para ter início após o período da crise provocada pela pandemia da Covid-19, deve ficar assim: Ministério da Fazenda - Ministro Paulo Guedes permanece no comando da pasta; Ministério do Planejamento – O atual secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, assume o comando. Indicação será feita pelo PSDB; Ministério do Trabalho - Receberá uma indicação do PTB para comandar a pasta; Ministério da Indústria e Comércio Exterior - Receberá uma indicação do Republicanos.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247