Governo Bolsonaro corta verbas de programas sociais em 2020

Reportagem da Folha de S.Paulo aponta que o governo Bolsonaro corta verbas do orçamento dos programas sociais em 2020, atingindo principamente programas como Minha Casa Minha Vida e Bolsa Família. A proposta orçamentária da dupla Jair Bolsonaro-Paulo Guedes é a principal demonstração do caráter neoliberal e antissocial do governo

(Foto: PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Reportagem dos jornalistas Thiago Resende e Fábio Pupo na Folha de S.Paulo desta terça-feira (3) aponta que o governo Bolsonaro corta verbas do orçamento dos programas sociais em 2020, atingindo principamente programas como Minha Casa Minha Vida e Bolsa Família. 

A proposta orçamentária da dupla Jair Bolsonaro-Paulo Guedes é a principal demonstração do caráter neoliberal e antissocial do governo  Segundo a reportagem, o governo reduziu os recursos de ações voltadas à população mais vulnerável e de medidas que buscam reduzir as desigualdades no país.  

 "A maior tesourada foi no Minha Casa Minha Vida. A previsão para o programa habitacional caiu de R$ 4,6 bilhões, em 2019, para R$ 2,7 bilhões na projeção do próximo ano", informa a reportagem. Criado no governo do PT, há dez anos, agora sob o governo Biolsonaro, o Minha Casa MINha Vida terá o menor orçamento da história.  Já em 2019, o ritmo do Minha Casa Minha Vida é bem menor que em anos anteriores. Até julho, o programa recebeu R$ 2,6 bilhões do Tesouro, segundo a Folha.    

O Orçamento do governo Bolsonaro atinge em cheio também o Bolsa Família, programa social do governo Lula que transfere renda para famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza.   "Para 2020, estão reservados os mesmos R$ 30 bilhões que devem ser gastos com o programa neste ano. Isso, na prática, representa redução no tamanho do Bolsa Família, pois não há correção pela inflação".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247