Governo Bolsonaro fez reunião sigilosa com a Rússia sobre vacina para a Covid-19

O governo brasileiro “indicou estar interessado em continuar o diálogo” e pediu acesso ao relatório final da fórmula para "estudar melhor o caso”

País europeu iniciará a produção da segunda vacina contra a Covid-19
País europeu iniciará a produção da segunda vacina contra a Covid-19 (Foto: Sputnik / Andrei Kataev)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo Jair Bolsonaro teria realizado uma reunião sigilosa com o governo da Rússia na última terça-feira (4) sobre o possível desenvolvimento da vacina anunciada nesta terça (11) pelo presidente russo, Vladimir Putin, segundo a Veja.

A reunião aconteceu entre uma delegação do Ministério da Saúde chefiada pelo secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Neto, e representantes do Fundo de Investimento Direto da Rússia (RDIF).

Na conversa, os russos disseram que o medicamento estava em fase final de testes e o Brasil “indicou estar interessado em continuar o diálogo”. O governo brasileiro também pediu acesso ao relatório final da vacina “com vistas a estudar melhor o caso”. Segundo os russos, o relatório estará disponível até esta quarta (12).

O Brasil foi informado de que a vacina é aplicada em duas doses e que o valor é de 20 dólares (108 reais). 50 milhões de doses são necessárias na Rússia para desenvolver a resposta imunológica na população, o que demandaria dez meses de produção.

O Brasil, caso queira desenvolver a vacina russa, teria de desembolsar aproximadamente 271,5 milhões de reais para instalar do zero a infraestrutura para produção da fórmula.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247