Governo Bolsonaro gastou R$ 23,3 milhões para divulgar 'tratamento precoce', ineficaz contra Covid-19

Informação consta em documento do Ministério da Saúde encaminhado à CPI. Com o dinheiro gasto para promover o uso da cloroquina e outros medicamentos sem eficácia para tratar a Covid-19, seria possível adquirir 456,7 mil doses da vacina da Pfizer

Bolsonaro com uma caixa de cloroquina
Bolsonaro com uma caixa de cloroquina (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Documento enviado pelo Ministério da Saúde à CPI da Covid, e divulgado pela Rede Globo, mostra que o governo Jair Bolsonaro informou à Procuradoria da República no Distrito Federal que foram gastos R$ 23,3 milhões com campanhas de divulgação do suposto tratamento precoce contra Covid-19, comprovadamente ineficaz contra a doença.

O documento foi enviado em razão de uma apuração preliminar do Ministério Público sobre possíveis atos de improbidade administrativa cometidos pelo ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello.

Com o dinheiro gasto com a propaganda do tratamento precoce seria possível adquirir 456.718 doses da vacina da Pfizer, já que o governo pagou US$ 10 (R$ 51,20) por dose do imunizante.

Segundo o documento, o governo Bolsonaro gastou R$ 52 mil em viagens de médicos para Manaus para promover a cloroquina, remédio ineficaz defendido por Jair Bolsonaro.

Inscreva-se na TV 247, seja membro, e compartilhe:


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email