“Governo está na ilha da fantasia”, diz presidente exonerado da Funai

Entre as críticas que fez contra o governo Temer ao ser demitido da Funai, Antônio Fernandes Toninho Costa disse que "o governo nega tudo, nega até que está passando por crise"; "O governo está na ilha da fantasia e não reconhece o sentimento do povo brasileiro", afirmou; para ele, "o povo brasileiro precisa acordar, o povo brasileiro está anestesiado. Estamos prestes a se instalar neste país uma ditadura que a Funai já está vivendo, uma ditadura que não permite ao presidente da Funai executar as políticas constitucionais. Isso é muito grave"

Brasília - O ex-presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Antônio Costa, durante entrevista coletiva sobre a sua exoneração (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - O ex-presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Antônio Costa, durante entrevista coletiva sobre a sua exoneração (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente exonerado da Fundação Nacional do Índio (Funai), Antônio Fernandes Toninho Costa, fez duras críticas ao governo Temer e ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio, pela condução das políticas indigenistas.

Entre as críticas, Toninho disse que "o governo nega tudo, nega até que está passando por crise". "O governo está na ilha da fantasia e não reconhece o sentimento do povo brasileiro", atestou.

Para ele, "o povo brasileiro precisa acordar, o povo brasileiro está anestesiado. Estamos prestes a se instalar neste país uma ditadura que a Funai já está vivendo, uma ditadura que não permite ao presidente da Funai executar as políticas constitucionais. Isso é muito grave".

Segundo disse ele a jornalistas, sua exoneração "é atribuída a fatores políticos". "Há uma incompreensão por parte do Estado brasileiro de não entender o papel do presidente da Funai de executar as políticas indígenas. Isso deve ter contrariado alguns setores", afirmou, acrescentando que tratam-se de pessoas que "não têm nenhum compromisso com as causas indígenas."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email