Governo federal estuda novo ciclo de concessões

Presidente Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira, 12, que o governo estuda a implantação de um "novo projeto de concessões" de rodovias, hidrovias e aeroportos à iniciativa privada no país; segundo a chefe do Executivo federal, o novo modelo de negócios ainda não foi definido, mas acrescentou que as negociações estão avançadas para modelagem de terminais aéreos; "Estamos agora estudando várias alternativas. Algumas já tem um nível maior de definição, mas ainda estão em discussão. Porto Alegre, Salvador Florianópolis [são os aerportos em estudo, mas há] há outros, não são só esses não", disse 

Rio de Janeiro - RJ, 12/03/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de entrega das obras de expansão e modernização dos terminais privados de Libra, Multi-Rio e Multi-Car - Porto do Futuro. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Rio de Janeiro - RJ, 12/03/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de entrega das obras de expansão e modernização dos terminais privados de Libra, Multi-Rio e Multi-Car - Porto do Futuro. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR (Foto: Leonardo Lucena)

Isabela Vieira - Repórter da Agência Brasil

A presidenta da República, Dilma Rousseff, disse hoje (12) que o governo estuda a implantação de um "novo projeto de concessões" de rodovias, hidrovias e aeroportos à iniciativa privada no país. Dilma disse que o novo modelo de negócios ainda não foi definido, mas acrescentou que as negociações estão avançadas para modelagem de terminais aéreos.

Dilma participou na manhã de hoje da inauguração de obras no terminal portuário no Rio de Janeiro, em parceria com a iniciativa privada. O investimento, para ampliar a capacidade no Cais do Caju, é R$ 1,8 bilhão.

"Estamos agora estudando várias alternativas. Algumas já tem um nível maior de definição, mas ainda estão em discussão. Porto Alegre, Salvador Florianópolis [são os aerportos em estudo, mas há] há outros, não são só esses não", disse Dilma sobre a modelagem dos aeroportos.

Segundo a presidenta, há a expectativa de que a participação da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) seja menor nas novas concessões do que nas seis anteriores feitas pelo governo em Minas Gerais, Brasília, no Rio de Janeiro, em São Paulo, Campinas e no terminal São Gonçalo do Amarente, em Natal.

A presidenta destacou ainda a necessidade de implantação de mais hidrovias para reduzir custos de exportação. "O Brasil precisa usar todos seus chamados caminhos hidroviários, principalmente acima do paralelo 16 [onde se localizam as novas fronteiras agrícolas do país], tudo que for melhorado em hidrovia resulta em ganhos para os exportadores de grãos e minérios."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247