Graça contesta Barusco: 'não deve ter agido sozinho'

"Não consigo imaginar como pode ser verdadeira a fala do Barusco de que ele sozinho recebia propina (na época do governo FHC). Não consigo entender isso de forma alguma. Fico surpresa de saber que alguém pode ganhar alguma coisa no meio da estrutura sem ninguém de cima saber. Quando a gente vê o Barusco falando de si, a gente pensa que está em outro planeta”, disse a ex-presidente da Petrobras Graça Foster à CPI no Congresso

"Não consigo imaginar como pode ser verdadeira a fala do Barusco de que ele sozinho recebia propina (na época do governo FHC). Não consigo entender isso de forma alguma. Fico surpresa de saber que alguém pode ganhar alguma coisa no meio da estrutura sem ninguém de cima saber. Quando a gente vê o Barusco falando de si, a gente pensa que está em outro planeta”, disse a ex-presidente da Petrobras Graça Foster à CPI no Congresso
"Não consigo imaginar como pode ser verdadeira a fala do Barusco de que ele sozinho recebia propina (na época do governo FHC). Não consigo entender isso de forma alguma. Fico surpresa de saber que alguém pode ganhar alguma coisa no meio da estrutura sem ninguém de cima saber. Quando a gente vê o Barusco falando de si, a gente pensa que está em outro planeta”, disse a ex-presidente da Petrobras Graça Foster à CPI no Congresso (Foto: Roberta Namour)

247 – Em novo depoimento na CPI da Petrobras, a ex-presidente da estatal Graça Foster questionou nesta quinta-feira, 26, a declaração do ex-gerente Pedro Barusco sobre a corrupção na companhia na época da gestão de FHC. 

"Não consigo imaginar como pode ser verdadeira a fala do Barusco de que ele sozinho recebia propina (na época do governo FHC). Não consigo entender isso de forma alguma. Fico surpresa de saber que alguém pode ganhar alguma coisa no meio da estrutura sem ninguém de cima saber. Quando a gente vê o Barusco falando de si, a gente pensa que está em outro planeta”, disse.

Ela também disse que o esquema de corrupção na empresa "se formou fora da Petrobras". O relator da CPI, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) perguntou a Graça Foster se procediam as afirmações atribuídas aos delatores da Operação Lava Jato Paulo Roberto Costa, Alberto Youssef e Pedro Barusco de que as licitações na Petrobras eram feitas de maneira muito correta.

"Não conheço caso em que diretores da Petrobras tivessem tido informações de vencedores de licitações antes da abertura dos envelopes de propostas", disse Foster ao negar o vazamento de informações privilegiadas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247