GT Perus continua funcionando independente do “revogaço”

Quem assegura é Eugênia Gonzaga, presidente da Comissão Sobre Mortos e Desaparecidos, "o GT Perus tem estabilidade decorrente de acordo feito em juízo. Se eles [governo Bolsonaro] decidirem não renovar o acordo, estariam descumprindo decisão judicial"

GT Perus continua funcionando independente do “revogaço”
GT Perus continua funcionando independente do “revogaço”
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Jornal GGN – O Grupo de Trabalho Perus "continua funcionando independente do decreto" de Jair Bolsonaro que ficou conhecido como "revogaço". É o que afirma, em entrevista ao GGN, a procuradora da República e presidente da Comissão Especial Sobre Mortos e Desaparecidos Políticos (CEMDP) da Ditadura Militar, Eugênia Gonzaga.

"O GT é fruto de acordo entre a Prefeitura de São Paulo, a União e a Unifesp. Nós consideramos que ele continua funcionando independente do decreto. O problema é que é preciso renovar o acordo entre Unifesp, Prefeitura e União [para a continuidade dos trabalhos, que envolve contratação de mais peritos para fazer a identificação das ossadas de Perus]. O prazo para isso acontecer é agora em abril. Eles [governo Bolsonaro] não disseram que não vão renovar, mas não sabemos."

Leia aqui a íntegra da reportagem.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247