'Guardiões da floresta', indígenas Guajajara fazem o trabalho de proteção ambiental negligenciado pelo Estado

Autodenominados "guardiões da floresta", os indígenas da etnia Guajajara defendem a floresta de madeireiros com estratégia de guerrilha. Armados com rifles e revólveres, eles fazem emboscadas, prendem os madeireiros e entregam os invasores e seus equipamentos à delegacia mais próxima, a centenas de quilômetros

Fogo na Terra Indígena Arões em Mato Grosso
Fogo na Terra Indígena Arões em Mato Grosso (Foto: Ibama)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 -  Autodenominados "guardiões da floresta", os indígenas da etnia Guajajara defendem a floresta de madeireiros com estratégia de guerrilha. Armados com rifles e revólveres, eles fazem emboscadas, prendem os madeireiros e entregam os invasores e seus equipamentos à delegacia mais próxima, a centenas de quilômetros.

A reportagem da Reuters, co-enunciada pelo jornal Folha de S. Paulo destaca que "os homens dizem que estão entre os 180 guardiões que patrulham e protegem sua terra indígena contra madeireiros em ações noturnas. De dia, a maioria dos guardiões cultiva mandioca, arroz e outros produtos na Terra Indígena Arariboia, uma região florestal úmida de cerca de 413 mil hectares no nordeste do Maranhão, um estado que perdeu a maioria de sua floresta tropical ao longo do século passado."

A matéria ainda informa que "madeireiros e fazendeiros vêm desmatando as terras até a reserva Guajajara e cruzando a fronteira cada vez mais nas últimas décadas. No entanto, desde 2012, quando os "guardiões da floresta" se constituíram, estima-se que as incursões ilegais tenham se reduzido à metade."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email