Guerra interna do PSL atrapalha agenda da Câmara dos Deputados

A guerra interna continua tendo desdobramentos políticos, provocando uma crise política generalizada que agora afeta a Câmara dos Deputados, onde caciques de partidos de direita e centro-direita temem a paralisação da agenda de reformas neoliberais e conservadoras

(Foto: Michel Jesus/ Câmara dos Deputados)

247 - A coluna Painel da Folha de S.Paulo informa que dirigentes de partidos de centro e centro-direita estão atônitos com os últimos lances da guerra interna do PSL. 

Já é evidente que a crise extravasa as fileiras da sigla e começa a criar fraturas para além das fileiras do PSL. Se antes a briga não colocava em risco projetos importantes, agora gera dúvidas sobre a capacidade do comando do Congresso de tocar a agenda econômica como se nada estivesse acontecendo ao redor, segundo a coluna. 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que se arvora o papel de condutor das medidas neoliberais, diz que vai continuar tocando as reformas, mas dirigentes dos partidos de direita e centro-direita dizem que há um limite “para a atuação descolada da realidade e desprovida de qualquer confiança entre as partes”.  

Para esses líderes, a guerra interna no PSL deu demonstrações claras da imaturidade e da inabilidade não só dos deputados do partido, mas do próprio Jair Bolsonaro e de seus filhos, que atacaram integrantes de outras legendas em meio ao tiroteio interno.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247