Haddad comenta os dados do Pisa e diz que, mantido o ritmo de 2000-2009, país seria líder no continente hoje

O ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, analisa os dados do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) e diz que entre 2000 e 2009, o Brasil foi um dos países que mais evoluiu no índice. O ex-prefeito de São Paulo diz: "se tivéssemos mantido o ritmo de melhoria nos nove anos seguintes, teríamos sido, em 2018, o país líder em qualidade da educação básica na América Latina"

Denúncia oferecida contra Fernando Haddad é inepta, vazia e leviana
Denúncia oferecida contra Fernando Haddad é inepta, vazia e leviana (Foto: REUTERS/Rodolfo Buhrer)

247 - O ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, analisa os dados do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) e diz que entre 2000 e 2009, o Brasil foi um dos países que mais evoluiu no índice. O ex-prefeito de São Paulo diz: "se tivéssemos mantido o ritmo de melhoria nos nove anos seguintes, teríamos sido, em 2018, o país líder em qualidade da educação básica na América Latina"

Em sua coluna publicada no jornal Folha de S. Paulo, Haddad lembra que "o biênio 2000-2001 marca o nosso fundo do poço em termos de qualidade educacional, tanto nas avaliações internacionais quanto nas nacionais. Avaliar qualidade da educação por meio de testes padronizados é um procedimento discutível, mas nas condições em que se encontravam as escolas brasileiras, tão distanciadas do compromisso com a aprendizagem, não havia alternativa senão adotá-los."

O ex-ministro ainda sublinha: "no governo Lula, aumentamos em 2% do PIB o investimento público em educação básica (para 5%), mantendo no mesmo patamar de 1% o investimento em educação superior. Pela primeira vez na nossa história, o Brasil investia em educação pública a média da OCDE como proporção do PIB."

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247