Haddad: militares entraram numa fria ao avalizar Bolsonaro

O ex-presidenciável Fernando Haddad (PT) criticou as desavenças entre o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) e o vice-presidente da República, Hamilton Mourão; “No Twitter, o presidente, os filhos, 1 escondendo senha do outro, uma molecagem com o vice-presidente. Eu acho que os militares entraram numa fria ao avalizar uma pessoa que nem pro Exército serviu”, afirmou

Haddad: militares entraram numa fria ao avalizar Bolsonaro
Haddad: militares entraram numa fria ao avalizar Bolsonaro (Foto: Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidenciável Fernando Haddad, 56 anos, criticou as desavenças entre o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) e o vice-presidente da República, Hamilton Mourão.

“No Twitter, o presidente, os filhos, 1 escondendo senha do outro, uma molecagem com o vice-presidente. Eu acho que os militares entraram numa fria ao avalizar uma pessoa que nem pro Exército serviu”, afirmou Haddad em entrevista ao Poder360.

De acordo com ex-prefeito de São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro não tem preparo para o cargo. "Nós temos que torcer para ele incorporar alguém que tenha estatura mínima e exercer a Presidência da República. Todos os dias os brasileiros rezam com isso. Para que caia a ficha de onde ele está, para que ele se porte com o mínimo de dignidade na condução dos assuntos nacionais", disse.

O aparente protagonismo de Mourão no governo estaria incomodando o presidente. O colunista Lauro Jardim também havia divulgado nota dizendo que Jair Bolsonaro estaria estimulando ataques de aliados ao vice. O principal expoente dos ataques é o vereador do Rio Carlos Bolsonaro (PSL), filho do presidente. Nesta semana, por exemplo, o parlamentar referiu-se ao general como "tal de Mourão" e "queridinho da imprensa".

Haddad criticou também o fato de Bolsonaro ter vetado uma propaganda do Banco do Brasil. "O presidente da República vetou uma propaganda do Banco do Brasil porque discordou da presença de negros no comercial. Como se o presidente tivesse atribuição de censurar publicidade das empresas".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247