Heleno vai a ato fascista e ataca 'esquerdopatas'

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, afirmou que “esquerdopatas e derrotistas” fracassaram em suas previsões sobre o G-20; o general não comentou, porém, que o acordo entre União Europeia e Mercosul fará os produtos nacionais enfrentarem uma forte concorrência que pode acelerar o estrangulamento da indústria brasileira

General Heleno discursa em ato pró Moro e Bolsonaro
General Heleno discursa em ato pró Moro e Bolsonaro (Foto: ABr | Reuters)

247 - Um dos alvos da crise do governo Jair Bolsonaro por causa do "aerococa", o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, afirmou neste domingo (30) que “esquerdopatas e derrotistas” fracassaram em suas previsões sobre a reunião do G-20 e disse que o presidente foi “recebido com todas as honras” pelos demos chefes de Estado. Manifestantes foram às ruas defender o ministro Sérgio Moro (Justiça) e a Lava Jato em um contexto no qual o conluio entre o ex-juiz e procuradores está sendo massificado pela imprensa. Troca de diálogos mostram violação da equidistância entre o magistrado e a parte acusatória.

“Hoje é um dia histórico para esse país. Nós acabamos de chegar, o presidente da República e sua comitiva, da reunião do Grupo dos 20, que reúne os maiores países do mundo em Osaka no Japão. Mais uma vez, as provisões [sic] dos esquerdopatas, dos derrotistas, fracassou [sic]”, disse Heleno durante manifestações em apoio ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e a membros da Operação Lava-Jato.

“O presidente do Brasil volta de Osaka devidamente homenageado pelos grandes chefes de Estado do mundo. Foi recebido com todas as honras não só pelo governo japonês, mas por todos que estavam lá presente, incluindo o presidente [Emmanuel] Macron, a presidente [Angela] Merkel, o presidente [Donald] Trump e todos os outros dignitários dos países que estavam lá presentes”, complementou o general.  

Ao comentar o acordo de livre comércio firmado entre Mercosul e União Europeia, anunciado na reunião do G-20, Heleno disse que o compromisso representará o renascimento econômico do Brasil. “[O acordo] significa o renascer econômico do Brasil”.

Ao destacar a polítca externa de Jair Bolsonaro, Heleno não afirmou que o acordo entre União Europeia e o Mercosul deixa a indústria brasileira em situação deplorável porque os produtos nacionais enfretarão uma fote concorrência que pode ser preocupante. Com uma agenda enteguista, o governo Bolsonaro estrangula o setor industrial.





Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247