"Hipocrisia", diz filha de Villas Bôas sobre proibição do uso medicinal da maconha

Adriana Villas Bôas, filha do general Eduardo Villas Bôas, ex-comandante do Exército e um dos assessores de Jair Bolsonaro, saiu em defesa da regulamentação do uso medicinal da maconha e afirmou considerar hipocrisia a não liberação do medicamento canabidiol pelo governo Jair Bolsonaro. "Ser contra isso é a maior hipocrisia que existe", disse. Adriana é portadora uma doença rara, a espondilite anquilosante, enquanto seu pai sofre de esclerose lateral amiotrófica.

(Foto: Reprodução)

247 - Adriana Villas Bôas, filha do general Eduardo Villas boas,  ex-comandante do Exército e um dos assessores de Jair Bolsonaro, saiu em defesa da regulamentação do uso medicinal da maconha e afirmou considerar hipocrisia a não liberação do medicamento canabidiol pelo governo Jair Bolsonaro. Adriana é portadora uma doença rara, a espondilite anquilosante, enquanto seu pai sofre de esclerose lateral amiotrófica. 

“Não teria nenhum problema em experimentar. Eu não diria não. Meu pai também pensa como eu. Com o tanto de remédio que eu tomo, já era para meus rins terem parado. Por dentro, meu corpo deve ter 90 anos. Ser contra isso é a maior hipocrisia que existe", disse Adriana ao blog do jornalista Guilherme Amado. “Quando você pega uma mãe que dá canabidiol para seu filho e a trata como uma maconheira, isso é ofensivo, isso é grave”, completou. 

O uso de medicamentos derivados da maconha é criticado abertamente por Bolsonaro e pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra, que acreditam que uma liberação por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acabe por dar força para a liberação do uso recreativo da maconha. 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247