Incêndio atinge área de proteção ambiental no Pará e faz Estado pedir ajuda federal

Um incêndio ganhou novas proporções neste domingo, 15, na cidade de Santarém, no Pará. O primeiro foco de incêndio começou em uma área de mata conhecida como Capadócia, que fica entre Ponta de Pedras e a vila de Alter do Chão, área de proteção ambiental (APA) e um dos principais destinos turísticos paraenses

(Foto: REUTERS/Lucas Landau)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um incêndio ganhou novas proporções neste domingo, 15, na cidade de Santarém, no Pará. De acordo com a agência de notícias do governo local, o primeiro foco de incêndio começou no sábado, 14, em uma área de mata conhecida como Capadócia, que fica entre Ponta de Pedras e a vila de Alter do Chão, área de proteção ambiental (APA) e um dos principais destinos turísticos paraenses. O estado pediu ajuda federal.

O desmatamento tem se tornao um constanto no governo Bolsonaro. Nos oito meses até agosto, o desmatamento da Amazônia aumentou 92%, para 6.404,8 quilômetros quadrados (2.472,91 milhas quadradas), de acordo com dados preliminares do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Como consequência aumenta a possibilidade de boicote aos produtos brasileiros.

Outro foco de fogo foi identificado, desta vez numa ilha próxima a Ponta de Pedras, também em Santarém. O local é de mata fechada e de difícil acesso. O clima seco e a falta de sinal de telefone celular no local dificultam ainda mais os trabalhos. Cerca de 100 militares, brigadistas e homens do Exército atuam na região para combater as chamas. 

O governador paraense, Helder Barbalho, acionou o governo federal. "Já falei com o General do Exército, Paulo Sérgio, solicitando a possibilidade do envio de um avião pipa amanhã de manhã para o local. Falei há pouco com o ministro Onyx Lorenzoni sobre os pontos de incêndio em Alter do Chão, que me informou que já acionaria o Ministério da Defesa", escreveu o governador em sua conta no Twitter. Barbalho também declarou que solicitou à Polícia Civil que abra inquérito para investigar as causas do incêndio.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email